Os animais e o abandono nas férias

Este verão não abandone o seu animal de estimação. O abandono de animais é crime em Portugal, desde 2014. No entanto, todos os anos milhares de animais são recolhidos pelos centros de abrigo oficiais. As causas mais comuns para o abandono em Portugal continuam a ser as ninhadas indesejadas, dificuldades económicas das famílias, mudanças de casa ou férias de famílias e ainda comportamento problemático por parte do animal.

Está a chegar o calor, e com ele as férias. É tempo de as famílias rumarem ao merecido descanso que tanto desejam. No entanto, é importante alertar, ano após ano, para a urgência de não abandonar o seu animal de estimação, caso não esteja nos planos levá-lo consigo, de férias. Se noutros tempos as opções eram limitadas, hoje em dia o que não faltam, são soluções para deixar o seu fiel companheiro, seja ele um cão, gato, tartaruga, periquito ou outro. Se não o pode levar consigo por razões logísticas e também não tem possibilidades de lhe proporcionar uma “colónia de férias”, tente, por exemplo, pedir a um amigo, vizinho ou familiar que cuide dele por uns meros dias…

É necessário sensibilizar todos para uma prática que aumenta, sobretudo nos meses de verão. São milhares os animais abandonados ao longo de um ano. Os centros de recolha oficiais recebem, por ano, cerca de 30 mil animais. Existem mais de 60 centros de recolha municipais no nosso País e todos estes encontram-se sobrelotados. De todos os animais recolhidos apenas 35% são adotados segundo a Direção-Geral de Alimentação Veterinária, os restantes 65%, muitos deles acabam por viver toda a sua vida nestes centros.

É necessário fazer baixar estes números! E, para começar, o melhor a fazer é manter-se fiel ao seu animal mesmo em período de férias.

 

*Andreia Araújo: Médica na Clínica Veterinária Santa Teresinha