MPT queixa-se de ver quatro propostas chumbadas na Assembleia Municipal

O Grupo Municipal do Movimento Partido da Terra diz ficar “triste de ver que nem a classe de bombeiros sapadores vão ter as promessas cumpridas”, mencionando que apresentou na Assembleia Municipal quatro propostas e todas foram chumbadas.
Dirigindo-se ao edil funchalense, Pedro Calado, num comunicado, diz o partido que assim “fica difícil acreditar em promessas”, mas salvaguarda que “tem os maiores respeitos pela sua pessoa”.
O partido apresentou um voto de protesto “pelo facto de os Funchalenses não terem culpa da
falta de vergonha deste executivo em não facultar estes documentos a membros desta assembleia eleitos pelos Funchalenses”, diz o MPT, referindo-se ao Plano mobilidade urbana sustentável; Plano mobilidade ciclável; Número de postes de iluminação no Funchal;  Planos de acompanhamento e monitorização para situações de risco de fenómenos extremos e Plano director de drenagens urbanas. “Ficamos na dúvida se algum destes planos existe”, dizem os responsáveis partidários.
O MPT apresentou ainda uma Proposta de Resolução relativa ao Regulamento municipal do ruído, pedindo que o mesmo seja regulamentado ” em conformidade com o Regulamento Geral do Ruido”.
Outra proposta dizia respeito à limpeza urbana; e outra ainda, consistia num voto de protesto “pelo facto de os bombeiros sapadores do funchal terem sido roubados, não terem culpa da falta de honestidade do Sr. Presidente em cumprir as suas promessas eleitorais e esquecer de motivar e defender quem defende os funchalenses”. Isto no respeitante aos salários dos bombeiros.