Qualidade do rum da Madeira é reconhecida internacionalmente, diz Albuquerque

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, declarou que a subida do valor do rum regional decorre da promoção, da produção por métodos artesanais, da qualidade e da opinião consistente e credível dos especialistas.
“O valor do Rum da Madeira começou a subir nos últimos anos, sobretudo devido à forma como foi promovido, aos métodos artesanais utilizados e à qualidade. E é um rum altamente valorizado e cotado nos mercados, devido à opinião consistente e credível dos maiores especialistas do mundo”, afirmou Albuquerque.
As palavras do governante foram ditas hoje na Placa Central da Avenida Arriaga, na abertura da IV edição do Festival do Rum da Madeira, iniciativa do Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira, que conta novamente com a presença de especialistas internacionais de referência, oriundos de Portugal Continental, Bélgica, França e Itália, que visitarão as empresas produtoras, para aprofundar do conhecimento acerca das especificidades produtivas do rum da Madeira.
“A subida do preço do nosso rum é fundamental para o podermos afirmar no mercado internacional, porque não vamos vender em quantidade, porque a nossa produção de cana ronda as 9500 a 10 mil toneladas/ano. Portanto, temos que nos afirmar pela qualidade”, insistiu o Chefe do Executivo madeirense.
Albuquerque recordou que a produção de cana sacarina está ligada ao primeiro ciclo económico da Região, sendo, por essa razão, um produto ligado à nossa história e património cultural que deve ser apreciado e valorizado. Cerca de 11 mil famílias madeirenses produzem cana-de-açúcar para transformação por cinco engenhos.
O programa da 4ª edição do Festival inclui provas e masterclass de Rum da Madeira, conversas com produtores, sessões de cocktails, harmonização de comida e chocolates com Rum da Madeira.

Todos os produtores de Rum da Madeira, que comercializam o seu produto, marcarão presença no certame, refere-se.