Ucrânia [02/05/2014]: O Massacre na Casa dos Sindicatos de Odessa – Quando os ucranianos revolucionários queimaram os pró-russos vivos

AF!

No início da invasão da Ucrânia pela Rússia Puttin disse:

“Vamos tentar alcançar a desmilitarização e ‘desnazificar’ a Ucrânia. E levar à Justiça aqueles que realizaram múltiplos crimes sangrentos contra civis, incluindo cidadãos da Federação da Rússia”

Um dos crimes sangrentos a que Putin se refere, ocorreu no dia 2 de maio, de 2014, Odessa e ficou conhecido como “Massacre na Casa dos Sindicatos“.

O ataque foi organizado pela milícia paramilitar neonazista Pravyy Sektor que reuniu mais de mil pessoas que invadiram o prédio que era a sede de organizações sindicais e do comitê regional do Partido Comunista da Ucrânia. Mais de mil militantes da extrema-direita participaram do ataque.

(Como tudo começou: Polícia ucraniana facilitando o confronto)

Os bombeiros foram alertados para não intervirem rapidamente, a polícia ucraniana presenciou, mas não interveio. Várias testemunhas chamam repetidamente os bombeiros que quando chegam os mortos já ocorreram!

O Pravyy Sektor, que contou com o apoio dos hooligans do clube Chermorets, perseguiam manifestantes pró-Rússia que se esconderam na Sede dos Sindicatos. No ataque, morreram carbonizadas as pessoas que estavam no prédio, as que se esconderam, as pessoas do sindicato e as pessoas que trabalhavam no prédio. As pessoas que cpnseguiram sair do prédio eram cercados, espancados e mortos, por vezes com um tiro!

(O Incêndio da Casa dos Sindicatos)

Entre as vítimas está o jovem militante comunista Vadim Papura, que tinha 17 anos. 

Perante tal acontecimento a posição Russa passou a ser:

Eterna Glória aos Mártires de Odessa!
Abaixo a Junta Fascista e os seus patronos imperiais Nato+FMI+UE!

 

Antes do massacre:

Uma marcha de fãs e forças pró-ucranianas no centro de Odessa foi atacada por ativistas pró-Rússia com armas, matando 6 manifestantes. Em resposta, ativistas pró-ucranianos foram à praça Kulikovo para o acampamento dos oponentes, enquanto as forças pró-russas, em fuga, se refugiaram no prédio da Casa dos Sindicatos, onde um incêndio começou, matando mais várias pessoas.