DRS diz para desvalorizar mensagens enviadas pelo Ministério da Saúde no âmbito da Covid-19

A Direcção Regional de Saúde veio hoje informar que os utentes positivos e/ou contactos de casos positivos na Região Autónoma da Madeira devem privilegiar os meios de comunicação regionais, institucionais, para acompanhamento da sua situação, no âmbito da COVID-19, nomeadamente a aplicação S- ALERTA/CIDADAO.

Para tal, diz a DRS, não devem considerar as mensagens, SMS, enviadas pelo emissor Ministério da Saúde, durante o período de isolamento ou de quarentena. A Região Autónoma da Madeira rege-se por medidas especificas no âmbito da COVID-19 e a recepção de alguns conteúdos informativos, via telemóvel, está a causar alguma instabilidade, dizem as instâncias de saúde regionais.

A aplicação https://s-alerta.pt/CIDADAO/  através do IASAÚDE e DRS, emana diariamente mensagens informativas para os casos positivos e contactos de casos positivo e são estas as mensagens que devem ser valorizadas pelo cidadão, afirma-se.

Através da nova plataforma eletrónica, https://s-alerta.pt/CIDADAO/ o cidadão pode aceder à informação sobre as novas regras de isolamento, esclarecer dúvidas, requerer declarações e certidões relacionadas com a doença COVID-19 de forma simples e sem constrangimentos.

Esta plataforma está disponível para todos os cidadãos, mas algumas das suas funcionalidades estão apenas reservadas para os utentes com resultado positivo e/ou contactos de risco, mediante a recepção de uma mensagem com um “PIN” (no caso dos casos positivos).

A autoridade de saúde, através deste novo mecanismo, convida os cidadãos “a terem uma participação mais activa na gestão do seu processo de isolamento”.

As funcionalidades da APP “S-Alerta Cidadão” estão disponíveis para os casos positivos comunicados a partir do dia de hoje.

 Para conhecer melhor a APP “S-Alerta Cidadão” clique aqui.