Albuquerque justifica redução da “quarentena” para cinco dias

foto GR

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, comentou hoje aos jornalistas a deliberação tornada pública pela Direcção Regional de Saúde, que reduz para cinco dias a “quarentena” dos casos positivos de Covid-19 mas assintomáticos, e de contactos com casos positivos. Disse o responsável não fazer sentido isolar as pessoas, mantendo-as em casa ou paralisando a economia, face à variante Omicron, que se mostra mais transmissível mas menos causadora de efeitos graves.

O chefe do Executivo adiantou que as aulas principiarão a 3 de Janeiro e disse que não serão feitos encerramentos, congratulando-se com o estado do turismo na Região.

Albuquerque salientou ainda que 86% das pessoas no arquipélago já se encontram vacinadas, e que “não há nenhum internado nos cuidados intensivos”.

No entanto, o boletim de hoje da Direcção Regional de Saúde cita dois doentes a necessitar de cuidados intensivos.