CDU alerta para a necessidade de defender idosos, reformados e pensionistas

 A CDU reuniu durante a tarde de hoje com a ARPIRAM – Associação de Pensionistas e Reformados da RAM, para ouvir quais os principais problemas identificados por esta Associação e que afectam os mais idosos da nossa Região.

A candidata cabeça de lista da CDU à Assembleia da República, Herlanda Amado, referiu que, no decorrer desta reunião, “foram-nos relatadas situações dramáticas vividas por tantos idosos na nossa Região, desde o isolamento e abandono por parte das instituições que os deveriam proteger, à pobreza extrema que muitos vivenciam devido às baixas pensões e reformas que recebem e devido aos reduzidos rendimentos, às situações de pobreza que muitos dos nossos reformados se confrontam”.

“Entre comprar a tão necessária medicação do dia a dia ou a fundamental alimentação”, diz Herlanda Amado, “muitos são obrigados a optar, e esta é uma situação dramática e humilhante de quem tanto trabalhou e deu tanto à Região e ao País, e agora vê-se confrontado com pensões a rondar os 300€. Ninguém consegue viver com um valor destes mensalmente, apenas vai sobrevivendo”.

Durante muito tempo, devido ao medo do COVID, esta foi uma das camadas da população mais afectadas e muitos dos nossos idosos ainda hoje sofrem de isolamento. O medo privou os mais idosos de relações afectivas e sociais, deixando de conviver com os seus familiares e realizarem actividades nos centros de dia e de convívio, salienta a CDU.

Para o partido, o actual contexto não pode secundarizar a resolução dos problemas que afectam a maioria dos reformados e pensionistas, bem como prosseguir avanços no combate aos baixos valores das reformas e às situações de pobreza, e na concretização do seu direito a uma pensão e a condições de vida dignas.

“As lutas persistentes dos reformados e das suas organizações representativas por melhores pensões e condições de vida dignas, deram frutos aquando da concretização de propostas apresentadas pela CDU, de um aumento em 2020 de 10 e 6 euros. O aumento extraordinário em 2020, somado aos de anos anteriores, significa que uma parcela significativa dos reformados, pensionistas e idosos tem, nos últimos 4 anos, um acréscimo no valor da sua pensão de 40 ou 24 euros mensais”, salienta esta força política.

“Também nos foi reivindicado no decorrer da reunião um conjunto de apoios e complementos às pensões para ajudar a pobreza extrema em que vivem muitos dos nossos idosos na Região”, disse Herlanda Amado.

“Neste sentido demos a conhecer as várias propostas apresentadas esta semana no decorrer da discussão do Orçamento da Região para 2022: a atribuição de um complemento regional de reforma no valor de 100€ a todos os reformados e pensionistas que tenham uma pensão de reforma 50% inferior ao salário mínimo nacional e um rendimento anual igual ou inferior a 6500€; a atribuição de um complemento regional de reforma no valor de 65€ a todos os reformados e pensionistas que tenham uma pensão de reforma igual ou inferior ao salário mínimo nacional e um rendimento anual igual ou inferior a 9100€; garantir a gratuitidade nos transportes públicos para os reformados pensionistas e idosos; e ainda a proposta que assegurasse a gratuitidade de medicamentos para doentes crónicos, pessoas com mais de 65 anos e pessoas com insuficiência económica, uma vez mais PSD e CDS, chumbaram a proposta que a CDU apresentou”, salienta-se em comunicado. E conclui-se:

2É fundamental que em Janeiro de 2022 se prossiga a valorização das pensões e reformas, que têm vindo a ser actualizadas desde 2017, pela persistência e propostas da CDU, e que os avanços na conquista de direitos tenha continuidade, através do reforço da CDU na Assembleia da Republica”.