Estepilha: associações carnavalescas “põem o carro à frente dos bois”

Rui Marote
A Madeira sempre foi e será um “povo de festas”. Estepilha, quem não se recorda da expressão “João das Festas”… Quem nos visitava dizia:- Vocês estão sempre em festa! Os madeirenses ainda não acordaram, quando o “bicho” é uma realidade.
E o resultado está aí: foram levantadas as medidas de confinamento, e grande parte dos madeirenses sonhou que tudo já tinha acabado. Enganaram-se, o “bicho” é como a Primavera, volta sempre. O resultado está aí, quando a cabeça não tem juízo o corpo é que paga.
Mas a lição não está a servir de nada. O governo ainda não decidiu se há Carnaval. As associações carnavalescas apresentam candidaturas na Secretaria do Turismo, caso da Geringonça e Palco d` Emoções, que entregaram os projectos no dia 30 de Novembro. De imediato, alguns grupos já começaram a fazer inscrições para o Carnaval de 2022, isto sem aprovação do Governo. A veterana Geringonça já anunciou abertura de inscrições. Outras que participam estão a telefonar para os elementos para saber com quem contam, no caso de saírem… Anunciar uma pré-inscrição e sem injecção de dinheiro ,como está a fazer por exemplo Tramas e Enredo, é de facto o correcto.
Mal entregaram os projectos, certas associações começaram a bombardear as redes sociais, a mandar mensagens por messenger e sms a todos os elementos,m para sacar o dinheiro da inscrição e dos fatos. Em muitas lojas do Funchal, os fornecedores ainda estão para ver dinheiro do Carnaval de 2019 e do 2020… Pois, a isto chama-se colocar “o carro à frente dos bois”.
Entretanto, de norte a sul de Portugal está a ser cancelado o Réveillon de 2022, por causa do Covid 19. Em Janeiro muita coisa vai fechar.
Vamos à terra do samba: o Brasil já cancelou o Réveillon de 2022 no Rio de Janeiro. A cidade de São Paulo já cancelou o Fim de Ano e o Carnaval de 2022.
Anunciar abertura de inscrições, quando a SRTC ainda nem anunciou quais os os grupos que vão desfilar e que foram seleccionados e apoiados… Estepilha, pagar sem saber se há Carnaval dá para pensar. Porque se for para devolver, vão esperar sentados…