Herlanda Amado denuncia desinvestimento nas zonas altas do Funchal

Herlanda Amado, da CDU, denunciou hoje nas zonas altas de Santa Maria Maior, no Funchal, o problema do agravamento das desigualdades sociais e territoriais.

“Um dos exemplos”, disse, “é a reivindicada construção de um acesso rodoviário entre o Largo do Miranda e o Caminho do Terço. Já foi uma promessa do PSD e nos últimos 8 anos, partilhada pelo PS. O problema prolonga-se no tempo, sem resolução. Aliás, ao longo dos últimos anos, as desigualdades sociais e territoriais no Funchal agravaram-se porque tem sido encurtado o investimento público nas zonas altas, que já eram as mais desfavorecidas”.

De acordo com a deputada municipal da CDU, “ao longo dos últimos anos a redução do investimento nas zonas altas do Funchal fez aumentar as desigualdades. Por exemplo, em 2017 a CMF tinha aprovado 21% do seu Orçamento em investimento nas zonas altas, por proposta da CDU, mas esse investimento foi sendo reduzido para apenas 4,4% do seu Orçamento. Ou seja, verificou-se uma brutal redução do investimento previsto para as zonas altas, e o resultado deste roubo ao povo das zonas altas foi o aumento das injustiças sociais e territoriais no Funchal”.

Apesar da CDU não ter um vereador no Executivo da CMF, salienta, as populações continuam a estar representadas na Assembleia Municipal, “onde através da nossa intervenção e proposta, lutaremos para que muitas das reivindicações sejam finalmente contempladas”.