Pedro Calado exorta oposição a “bom senso e elevação” na primeira reunião da CMF

O recém-empossado edil do Funchal, Pedro Calado, confirmou hoje na primeira reunião da CMF aquilo que já se sabia, ou seja, quais os pelouros atribuídos a cada vereador, bem como ao presidente e à vice-presidente.

A instalação, refere uma nota da autarquia, decorreu com muita cordialidade, com Pedro Calado a pedir aos vereadores que trabalhassem em conjunto, de forma elevada, para beneficio de toda a população.

“Há uma manifestação de interesse de ambas as partes em que  corra tudo bem e funcione normalmente , é isso que pretendemos também. O que pedimos foi elevação e bom senso para tratarmos  dos assuntos que dizem respeito à população”, referiu.

“Numa fase em que já passou o calor das eleições e da campanha eleitoral agora estamos que estar todos unidos, respeitando as ideias diferentes, mas acima de tudo que prevaleça o bom senso em beneficio de toda a população”, exortou Calado.

Nesta reunião foi também  aprovado o regimento de funcionamento da própria CMF, das reuniões e das sessões de trabalho. Os documentos foram todos aprovados por unanimidade, um entendimento que Pedro Calado considerou como positivo.

O presidente assegurou que toda a equipa está pronta para trabalhar a todo o “vapor”. A  primeira reunião de Câmara acontece  já na próxima quinta-feira.  A pedido do presidente da CMF,  as reuniões semanais do executivo  vão começar mais cedo, às 9h30 e não às 10h00, como acontecia  no anterior mandato.

Calado confirmou ainda a nomeação de Augusta Aguiar para presidir à empresa municipal Sociohabita, salientando o importante papel que tem para resolver os problemas habitacionais do Funchal , as longas listas de espera e os vários problemas.

“Sei da competência e dedicação da Dra. Augusta Aguiar  e do empenho que dá nas suas funções quando esteve no governo  e é esse dinamismo que pretendo transportar para a Sociohabita e julgo  que é a pessoa certa para ocupar o lugar”, afirmou.

O edil reafirmou  o papel importante  de diálogo  e de trabalho conjunto com o Governo Regional, sobretudo com as verbas do Plano de Recuperação e Resiliência(PRR) que ficam afectas à habitação,   tendo adiantado que há “muitos projectos para dinamizar no Funchal, nomeadamente a construção de nova habitação”.

Por outro lado, assumiu que a ‘FrenteMar’ é outra empresa que precisa de uma mudança muito grande e  de muito dinamismo para resolver muitos problemas que neste momento existem. E já foi adiantando que a mesma terá uma nova administração. Em breve serão anunciados os nomes dos responsáveis.