Coleção particular de João Carlos Abreu doada à Escola dos Louros

*Com Helena Mota (texto e fotos)

A Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Louros acaba de receber a coleção de fotografia “Olhares do Mundo”, da autoria de Paulo Sérgio Abreu Freitas, uma doação feita publicamente esta segunda-feira, dia 11 de outubro, pelo antigo secretário do Turismo e Cultura João Carlos Abreu, no âmbito das comemorações do 32.º aniversário daquele estabelecimento escolar.

O anúncio foi recebido com surpresa e satisfação durante a sessão de abertura, a qual contou ainda com a presença do secretário regional de Educação, Ciência e Tecnologia.

João Carlos Abreu, que presidirá à Comissão de Honra para as comemorações dos 35 anos da escola, justificou a doação da coleção como o reconhecimento pessoal pelas respostas inclusivas que o estabelecimento de ensino tem vindo a consolidar no sentido de garantir a equidade de todos os jovens no acesso a um projeto de vida, destacando o especial contributo e liderança da presidente do Conselho Executivo, Gilberta Camacho.

“Esta escola não mata sonhos, constrói sonhos” e “Os alunos são contagiados pela vossa alma enfeitada de amor” foram as palavras expressas com emoção pelo também responsável pela Criamar, uma associação que tem estado desde a primeira hora a apoiar a escola em vários projetos.

O gesto de João Carlos Abreu sensibilizou os presentes, inclusivamente o responsável pela tutela da Educação. Jorge Carvalho realçou a mais-valia da coleção na missão da escola, na valorização do património humano, académico e cultural e na promoção de uma cidadania ativa e aberta ao mundo pois, como recordou, “só se valoriza o que se conhece”, sendo que a escola é o espaço privilegiado onde se molda a sociedade.

Depois de endereçar palavras de apreço pelo trabalho da instituição e da sua comunidade educativa na definição de respostas diferenciadas e inclusivas, atendendo ao seu estatuto de escola de referência de ensino bilingue para alunos surdos, o governante deixou a garantia de um novo ciclo de apoios às escolas no período de retoma pós pandemia. Concretamente no que respeita à Escola dos Louros, Jorge Carvalho considerou o caderno de encargos para os próximos tempos exequível, garantindo o devido enquadramento.

Já a presidente do Conselho Executivo aproveitou para falar de projetos futuros, designadamente a construção do pavilhão desportivo, meta que se perspetiva para a celebração do 35.º aniversário (2023/2024), bem com a restauração exterior do edifício. Outra das metas passa por continuar a promover a formação em Língua Gestual Portuguesa para ouvintes destinada a todos os elementos da comunidade educativa (docentes e não docentes e encarregados de educação), de modo a melhorar a comunicação entre ouvintes e surdos.

O acervo de 38 imagens agora doadas pertence à coleção particular do ex-governante e dá corpo à exposição “Olhares do mundo”, neste momento em exibição na escola, no piso 3. Resulta de uma viagem realizada em 2005 pelo antigo secretário regional e pelo fotógrafo Paulo Sérgio Freitas à Índia, Nepal e Tibete.

Na cerimónia evocativa do 32.º aniversário, realizada em modelo híbrido devido às normas de segurança da pandemia, foi ainda apresentada a Comissão de Honra para as comemorações do aniversário da escola em 2024, tendo-se procedido simbolicamente à entrega de certificados de mérito académico, valor e assiduidade aos cerca de 100 alunos que se destacaram no ano letivo transato.

A efeméride ficou ainda assinalada pela inauguração, no hall do auditório, da exposição coletiva “Olhares inclusivos”, constituída por 23 trabalhos de artistas plásticos (professores, ex-docentes e pessoal não docente) pertencentes ao universo da escola dos Louros.

A sessão de abertura contou com a apresentação dos hinos nacional, regional e da escola pelos alunos de 2.º Ciclo, sob orientação do professor Abílio Gonçalves.

As comemorações prosseguem ao longo da semana com atividades desportivas e artísticas.