Cabinda foi o maior erro da descolonização

Fotos Funchal Notícias.

O professor aposentado e ex-militar português em Cabinda, Manuel João Batista Rosa considerou hoje que a forma como Portugal entregou Cabinda a Angola foi um erro da descolonização.

Batista Rosa falava no auditório da Escola Secundária Francisco Franco, no Funchal, na apresentação do livro que escreveu, “Memórias” onde aborda temas como a consciência política, o 25 de abril na Escola Prática de Administração Militar (EPAM) e a “descolonização” de Cabinda.

Batista Rosa nasceu em Santana em 1952. Entrou para o exército em 1973. Foi alferes miliciano e cumpriu serviço militar em Angola, com maior incidência no protetorado de Cabinda.

Antes de ir para Cabinda participou no 25 de abril na EPAM, quartel que ocupou a RTP.

Foi professor durante 43 anos na Escola Secundária Francisco Franco.

Esta tarde juntou família e amigos na apreesentação do seu livro.

O prefácio foi escrito por Arão Bula Tempo, advogado em Cabinda, defensor dos Direitos Humanos e Ativistas Políticos, presidente do Movimento de Reunificação do Povo de Cabinda para a sua Soberania.

No livro, em134 páginas, numa primeira fase, o autor aborda a evolução da consciência política enquanto estudante em Lisboa.

Depois, o estatuto político de Cabinda, um dos grandes erros da descolonizacão -entregar uma colónia a outra colónia renegando a Constituição de 1933, a ONU e a Organização de Unidade Africana (OUA).