Estepilha: “Festa dos Tabernáculos” eterniza-se no Funchal

Rui Marote
Os madeirenses adoram barracas, Estepilha! Somos descendentes do “Zarolho”(Gonçalves Zarco) mas a nossa génese, parece, é a da tribo de Judá a que pertenceu Moisés. Durante o exílio no deserto, recorde-se, eram usadas essas barracas, como “morada de Deus”. Hoje as mesmas são a atracção de uma das festas que todos os anos se comemora em Israel.
Os madeirenses parecem ter “herdado” de algum modo essa tradição judaica nos arraiais religiosos  e hoje em dia, nos testes Covid-19, montando essas tendas nas praças e noutros locais.
Ontem, junto *a sala de congressos e a entrada do hotel Casino, foram instaladas novas barracas, desta feita de uma unidade hospitalar, para testar todos os congressistas a participar num evento sobre aquacultura.
Pareciam autênticos “checkpoints” que já tive oportunidade de fotografar nas estradas de Beirute.
Estepilha, não será um exagero? Os congressistas não chegaram á Madeira lançados de pára-quedas. Todos foram controlados no aeroporto. Nos estádios do país, a partir da passada sexta-feira, a lotação não tem limites. A apresentação do certificado de vacina é a condição “sine qua non” para assistir a um jogo de futebol em estádios de 50 ou 100 mil espectadores.
Os exageros são vários. No passado domingo, nas bancadas instaladas para a Festa da Flor na Avenida do Mar era necessário, para o acesso, um teste rápido negativo. Estepilha: mas ninguém pedia ou controlava os espectadores…, Entretanto, já para a multidão que via o cortejo não havia problema… Há ainda outros exemplos caricatos de inconsistências, de testes que são exigidos mas ninguém os fiscaliza.
Isto dos testes pode ser necessário, mas também é um grande negócio para alguns. Agora todos os europeus que viajem para o Reino Unido só podem fazê-lo com passaporte, e apresentando o comprovativo de pagamento de um teste a efectuar num laboratório, ao segundo dia.
Não há testes de borla para ninguém e no site das companhias aéreas dizem-se os nomes dos laboratórios e os preços, que variam entre 25 a 125 libras. É para escaldar!
Aqui é de borla para nacionais e estrangeiros… quem paga é o povo. Estepilha…