JPP denuncia PS por “atitude precipitada e mesquinha” ao impugnar candidaturas

O JPP emitiu um comunicado assinado por Carlos Costa, no qual se refere à impugnação das candidaturas do JPP, CDU, PTP e Iniciativa Liberal pelo PS, noticiadas pelo DN-Madeira, referindo que “as listas do JPP foram constituídas por um conjunto de homens e mulheres que aliam competência e motivação para promover a mudança e a construção de um futuro promissor para Machico”, que querem uma “verdadeira alternativa”.

O JPP repudia, pois, veementemente “a atitude precipitada e mesquinha do PS-M que, em vez de se preocupar e resolver os verdadeiros problemas de Machico, prefere, antes, engendrar falhas nas listas do JPP, distraindo deste modo, o povo com futilidades numa atitude de “bota abaixo”, critica.

“Na confiscação das listas do JPP, realizado pelo PS-M, concluiu-se que, afinal, estava tudo correcto, cumprindo, na íntegra, a Lei da Paridade. Questiona-se: como pode o PS-M continuar a governar um Município quando se verificam falhas num processo tão simples como “contar até 3 e calcular percentagens”, ironiza Carlos Costa.

O JPP lamenta, pois, “a falta de sensibilidade e de coerência do PS-M ao protestar listas de candidatos por «ter mulheres a mais» quando, no seu interior, tem um órgão próprio – Mulheres Socialistas – que diz defender a efectiva igualdade de direitos entre homens e mulheres, incluindo no contexto de participação da vida política. Isto só nos leva à conclusão de que, para o PS-M, vale tudo para atingir os seus fins”, refere o “Juntos pelo Povo”. O partido aproveita para criticar “a inércia, a incompetência e a ausência de planeamento estratégico do PS-M à frente dos destinos da autarquia, nestes 2 mandatos (8 anos) e denunciar qualquer estratagema político-partidário que venha a surgir durante a campanha eleitoral para ganhar vantagens pela negativa”.