Idalina Vasconcelos soma 25 anos a servir à mesa no Hotel Torre Praia: “A prioridade é satisfazer sempre os clientes”

Fotos FN.

Chama-e Idalina Vasconcelos e é a funcionária mais antiga, na área da restauração, do Hotel Torre Praia. É uma verdadeira “formiga” ao serviço dos turistas que lotam esta unidade hoteleira de quatro estrelas, sempre com um sorriso pronto para o forasteiro.

Ao longo dos seus 54 anos de idade, 25 dos quais a servir à mesa no Hotel Torre Praia como empregada de mesa de primeira, Idalina tem por missão fazer tudo para “agradar o cliente”. Não há verão sem que o hotel encha, principalmente em agosto, e é preciso ser célere e eficaz na resposta às muitas solicitações. O serviço de restauração do hotel é amplamente elogiado pelos hóspedes, o que também se traduz na elevada procura deste emprendimento, com uma localização privilegiada, praticamennte em cima da praia dourada.

Ao longo destes 25 anos, “o perfil de cliente mudou”, nomeadamente na sua origem e até mesmo no consumo, reconhece Idalina. O turismo britânico e alemão baixou muito, em virtude da pandemia, mas, em contrapartida, o mercado português tem aumentado. Mas é contagiante a alegria que paira nos hóspedes que lotam o hotel durante o verão, o que também motiva e estimula o pessoal. Há dois anos, no inverno, atravessaram o lay off, dada a pandemia, mas o verão enche a alma de turistas e empregados.

O ano passado, houve alguns receios, nomeadamente para gerir os tempos de pandemia.Era tudo novo para todos. Depois, com a vacinação e os cuidados sanitários, há mais confiança.  Responsável pelos pequenos-almoços, Idalina Vasconcelos, empregada de mesa de primeira, faz um pouco de tudo. Começa pelas 6h30 e acaba o trabalho pelas 15h30, após servir os pequenos almoços e colaborar nos almoços, quer aos clientes da casa como aos de fora.

O movimento este ano é muito bom, o que anima o pessoal. “Eu trabalho em prol do cliente. A missa missão é fazer com que o cliente saia daqui satisfeito. São 25 anos a procurar agradar os nossos clientes”, afirma, com um sorriso e segurança, Idalina Vasconcelos.