Limpeza do fundo do porto de pesca do Caniçal traz à superfície muito lixo

A limpeza do fundo do porto de pesca do Caniçal foi considerada “produtiva e verdadeiramente impressionante”, pela quantidade de objetos recolhidos. Pneus, muitos pneus, cadeiras, redes, estruturas de metal, plásticos, de tudo um pouco recolheram os mergulhadores voluntários da Secretaria Regional de Mar e Pescas, através da Direção Regional do Mar, em parceria com a Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas, através da Direção Regional do Ambiente e Alterações Climáticas.

Segundo uma nota emitida pela Secretaria Regional do Mar e das Pescas, “a operação engloba o projeto OceanLit e juntou os titulares das duas secretarias regionais, do Mar e Pescas, Teófilo Cunha, e a diretora regional, Mafalda Freitas; do Ambiente e Alterações Climáticas, Susana Prada, e o diretor regional, Manuel Ara de Oliveira”.

O evento sublinhou a necessidade de prover recursos, meios técnicos e financeiros, para a urgente e inadiável limpeza dos oceanos, mas acima de tudo para a educação e sensibilização das populações, pois os esforços das entidades governativas, das organizações e de todos quantos se preocupam com a qualidade dos oceanos e as alterações climáticas só terão sucesso quando deixarmos de fazer do mar a lixeira planetária.

A recolha contou com a colaboração das Brigadas do Oceanos, uma parceria entre a Direção Regional do Mar e a Direção Regional de Juventude, que procederam à distribuição de cinzeiros recicláveis.

De acordo com a legislação comunitária adotada pela Região, a limpeza dos fundos dos portos de pesca passou a ser obrigatória. É da responsabilidade das entidades gestoras dos portos monitorizar o espelho de água e a coluna de água.

A secretaria regional de Mar e Pescas voltará a desenvolver nova ação no próximo mês de setembro.