Câmara de Santa Cruz repudia declarações de Pedro Ramos

A Câmara Municipal de Santa Cruz reagiu a declarações do secretário regional da Saúde e Protecção Civil, Pedro Ramos, hoje na Assembleia Legislativa da Madeira, sobre o Programa de Apoio a Realização de Pequenas Cirurgias, da autarquia. As mesmas “são uma irresponsabilidade, uma ofensa aos munícipes deste concelho, e revestem-se de uma desonestidade sem limites”, diz a CMSC.

“São declarações que chocam sobretudo porque foram proferidas por um governante de quem se exigiria outro rigor e uma outra ética, porque o titular da pasta da saúde, além de secretário regional, também é medico”, considera uma nota da Câmara santacruzense.

Para a CMSC, dizer que o programa de apoios às pequenas cirurgias é um programa para os amigos, “não é apenas faltar à verdade, como é ofender e gozar com cada uma das pessoas que já receberam este apoio e que, por essa via, saíram da lista de espera do Serviço Regional de Saúde, resolvendo o seu problema e melhorando a sua qualidade de vida. É por isso grave que o responsável por 100 mil madeirenses em lista de espera faça declarações com a leviandade de um comentador da “bola” e não com a seriedade de um governante e de um médico”.

A Câmara diz não saber “qual é o conceito de amigo do Dr. Pedro Ramos, mas seguramente não temos o mesmo conceito. Sabemos que o PSD tem muitos amigos, mas com certeza que não são os 100 mil madeirense em lista de espera. O Governo não tem sido amigo destas pessoas”, constata a autarquia.

“O executivo da Câmara de Santa Cruz não é amigo pessoal das 100 pessoas que já receberam apoio. O executivo de Santa Cruz é amigo de todos os que precisam de ajuda, de todos os munícipes que recorrem aos nossos programas de apoio. Não os conhecemos, mas a partir do momento em que nos contactam passamos a conhecer os seus problemas e tudo fazemos e vamos continuar a fazer para os resolver. E, para que conste, não existe lista de espera no nosso Programa de Apoio a Pequenas Cirurgias”, refere a CMSC, que exige um “pedido de desculpas público” não à Câmara, mas à população de Santa Cruz.