CDU acusa Santa Cruz de não promover a habitação social, ou a custos controlados

A CDU realizou hoje, no centro de Santa Cruz, uma acção política na qual não poupou críticas ao Executivo da Câmara Municipal, da responsabilidade do JPP, alegadamente por não ter, ao longo dos anos, implementado políticas de promoção de habitação.

O candidato da CDU à presidência da Câmara Municipal de Santa Cruz, Dírio Ramos, referiu ser necessário criar bairros sociais para as pessoas economicamente mais carenciadas, cujos rendimentos ou vencimentos não cheguem para pagar o aluguer de uma casa no mercado habitacional.

Por outro lado, é também “obrigação moral e política do Município encontrar terrenos, adquiri-los para formar uma bolsa de terrenos para promover a construção de habitação e fomentar a construção a preços controlados para as classes intermédias, que não têm dinheiro para adquirir uma habitação, porque o banco considera não terem rendimentos suficientes para obter um crédito, e que, ao mesmo tempo, não têm acesso a habitação social porque ganham demais”.

Ora, afiançou, o Município de Santa Cruz, dirigido pelo JPP, “sem qualquer oposição na vereação (o vereador do PSD, vendeu-se, rendeu-se aos encantos do JPP e traiu o seu partido a troco de um prato de lentilhas) não tem, nunca teve e tem ódio a quem defende um plano municipal de habitação para resolver os problemas das pessoas”, acusa.

O JPP de Gaula “destruiu o empreendimento do Porto Novo, inicialmente a custos controlados, que levou o empreiteiro à falência e ao desemprego dos trabalhadores. Sabemos que o JPP na gestão da CMSC viabilizou aquele empreendimento e o transformou em habitação de luxo”, criticou, por outro lado.

“Sabemos a desgraça em que tornou o empreendimento do Edifício da Quinta do Garajau, um prédio cheio de problemas, ainda por resolver, existindo indícios de matéria criminal em que o JPP nada fez no tempo em que era o PSD a governar Santa Cruz. E ainda hoje faz de conta que desconhece o problema”, atirou.

Dírio Ramos disse ainda que, apesar de existirem financiamentos públicos disponíveis para promover habitação social e a custos controlados no âmbito da chamada “Bazuca Europeia”, e apesar de muitos dos municípios por todo o País já terem verbas para habitação, lamentavelmente, o JPP, “nada diz e nada faz em favor do povo de Santa Cruz”.