Teófilo Cunha acusa ministro do Mar de deitar fora sonho dos pescadores de peixe-espada preto

O secretário regional de Mar e Pescas, Teófilo Cunha, acusou hoje o ministro do Mar de ter transformado num “pesadelo” aquele que é um dos maiores sonhos dos pescadores do peixe espada-preto: a renovação da envelhecida frota do peixe-espada, cujas embarcações têm, em média, 40 anos de vida.

“É uma questão de segurança e vida dos pescadores”, declarou o governante, na sequência das declarações do ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, na Assembleia da República, onde considerou “uma quimera” Portugal “tentar reabrir o Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas FEAMPA) para obter apoios financeiros para a renovação da frota”.

Ricardo Serrão Santos respondia a perguntas que lhe foram dirigidas pela deputada Sara Madruga da Costa e, na resposta, o ministro acabou por fechar a porta dos apoios comunitários para a renovação. O secretário regional de Mar e Pescas critica a “insensibilidade do Estado português e do governo socialista” durante as negociações do FEAMPA para acautelar os interesses dos pescadores da Madeira.

“Lamentamos que, num quadro comunitário com cerca de 28 milhões de euros que virão para a Madeira, o Estado não tenha lutado no sentido de consagrar verbas para a renovação da frota pesqueira, diz. “O Governo Regional demonstrou ao Governo da República que não é possível continuar a navegar naquelas embarcações com falta de segurança e de habitabilidade. Lamenta-se a atitude do governo da República de ter atirado a toalha ao chão.”

O governante madeirense instou ainda o PS Madeira a tomar uma posição pública sobre esta “má decisão de um ministro socialista”, recordando que os deputados socialistas, e bem, costumam exigir verbas para a renovação da frota e, por isso, acrescenta Teófilo Cunha, “é importante saber o que têm a dizer da posição do governo socialista da República.