IVBAM promove Vinho da Madeira em revistas internacionais

O Instituto do Vinho, Bordado e Artesanato da Madeira (IVBAM) apresenta uma série de anúncios publicitários que vai colocar em várias revistas de referência no mundo dos vinhos. O objectivo é promover o Vinho Madeira nos mercados internacionais.

Estas acções decorrem em parceria com a Viniportugal, entidade responsável pela promoção dos Vinhos de Portugal.

O primeiro anúncio publicitário está agendado para o próximo mês de Junho, na “Meiningers Sommelier”, conceituada revista alemã dirigida aos profissionais do setor vínico, nomeadamente, sommeliers e “restauranteurs”, com uma tiragem impressa de cerca de 7.000 exemplares por edição.

Já em Julho, a aposta será feita no mercado norte americano, onde estão reservados dois espaços publicitários, em revistas de relevo do sector vínico dos EUA, a “Wine Spectator”- considerada a revista mais importante e influente no seio da indústria do vinho, tendo uma circulação de 2,2 milhões de exemplares e a “Wine Enthusiast”, igualmente publicação de relevo no mercado norte americano, com uma circulação de 182.609 exemplares.

Por último, em Agosto, está prevista uma publicação na “Decanter”, principal revista de vinhos do Reino Unido, destinada aos enófilos, sendo actualmente uma marca líder mundial dos meios de comunicação de vinhos, com um alcance que ultrapassa os 660 mil amantes de vinho de 99 países em todo o mundo.

Perante o actual contexto de pandemia COVID-19, e dadas as limitações à realização de eventos promocionais presenciais, o IVBAM considera este tipo de acções fundamentais para a promoção do Vinho Madeira, na medida em que se dirigem a um público-alvo específico, especialistas e entendidos no mundo dos vinhos, de alguns dos principais mercados de exportação do Vinho Madeira, elevando, exponencialmente, o alcance e o conhecimento sobre o Vinho Madeira.

Estas acções promocionais enquadram-se no Plano Promocional do Vinho Madeira, cofinanciado a 85% no âmbito do “Programa Operacional Regional da Madeira 2014-2020” e o restante suportado pelo Orçamento Regional.