Nelson Veríssimo dá hoje conferência sobre a peste no Funchal quinhentista

Nelson Verissímo
Foto: Celso Caires

“Peste, castigo e misericórdia no Funchal quinhentista: São Tiago Menor, padroeiro e rogador a Deus pelo povo da cidade”, é como se intitula a conferência que será proferida hoje, quinta-feira, dia 20, pelas 19h30, pelo historiador Nelson Veríssimo, na igreja do Colégio.

“Nas primeiras décadas do século XVI, o Funchal vivia um tempo de prosperidade económica, decorrente da produção e comércio do açúcar. A Madeira tornara-se escala obrigatória do comércio internacional”, situa este académico.

“A vila do Funchal ascendera à categoria de cidade em 1508 e, em 1514, fora criada a diocese do Funchal, que abrangia vasto território ultramarino, da Europa, África, América do Sul e Ásia.

Neste contexto, pretende-se analisar os efeitos da peste no município do Funchal e compreender o significado da escolha de um padroeiro para a cidade.

Com base na documentação camarária, mais do que uma enumeração de factos conhecidos, interpretar-se-á o voto a São Tiago Menor, à luz do contexto mental da época, sublinhando-se o vínculo intemporal desse ato, que obriga o município e a diocese a honrarem o padroeiro, no primeiro de Maio, na Igreja que lhe é dedicada e que foi mandada construir pela Câmara do Funchal”, refere Nelson Veríssimo.

Esta conferência insere-se no âmbito dos 500 anos do voto a São Tiago Menor.

No dia 3 de Junho, também às 19h30, será a vez de Martinho Mendes falar sobre “A Iconografia de São Tiago Menor na Diocese do Funchal”.