Martim Velosa prepara escultura da ALRAM para homenagear “profissionais da linha da frente”

A escultura deverá ficar neste local
Rui Marote
Foi recentemente anunciado que a Assembleia Legislativa da Madeira iria realizar um monumento a homenagear os profissionais da linha da frente na luta contra a Covid-19. Chegou a circular na cidade que seria o escultor Ricardo Velosa a fazê-lo, mas o FN apurou que afinal não é o o pai, mas sim o filho, Martim Velosa.
O escultor Ricardo Veloza foi abordado por um “enviado” da Assembleia num café da placa central para executar a escultura mas declinou, nunca tendo havido sequer contactos com o presidente da ALRAM, José Manuel Rodrigues.
Martim Velosa encontra-se actualmente no Porto, a executar essa obra em metal com soldaduras e bronze com uma altura de quatro metros. O presidente da Repúblicam Marcelo Rebelo de Sousa, chegou a receber o esboço, e também deu o seu parecer: gostou.
A escultura ficará na Rua António José de Almeida, junto à fonte próxima da Assembleia. Muito em breve iniciar-se-ão os trabalhos.
A inauguração estava prevista para o Dia de Portugal, 10 de Junho, que este ano se comemora na cidade do Funchal. Mas foi no entanto mudada para o dia 1 de Julho, em que Marcelo estará presente no aniversário dos 45 anos do parlamento.
Chegou a pensar -se no adiamento para 2022, ficando a peça em armazém, quer no Porto quer na Madeira, em virtude de haver quem preveja mais uma vaga da pandemia, o que tornaria algo estranho que no meio da mesma fosse inaugurada uma tal escultura… Outros têm, porém, opinião diferente; inaugurar já, para sermos, como de costume, os primeiros em Portugal e no Mundo…
Quanto custa o monumento? O FN ainda não o apurou, nem porque não houve concurso para o mesmo. Aparentemente José Manuel Rodrigues não quis saber o preço do escultor, muito menos da fundição, de transporte e colocação. Foi como ir ir à loja e comprar um fato novo.