CDU preocupada com cedência da CMF aos “lobbys” na Praia Formosa

A CDU levou hoje a efeito uma acção política, na qual esteve em foco a preocupação com a cedência, por parte da Câmara Municipal do Funchal, aos interesses e lobbys económicos que colocam em causa a Praia Formosa, enquanto espaço público e de acesso gratuito à população da Região.

A deputada da CDU na Assembleia Municipal do Funchal, Herlanda Amado, recordou que durante anos “temos vindo a intervir junto da Câmara Municipal do Funchal para a necessidade de garantir a defesa deste espaço privilegiado da cidade”.

A CDU, recordou, tem apresentado propostas que garantem a defesa e preservação deste espaço, há mais de 20 anos, nem sempre aceites pela autarquia. “Os vorazes apetites económicos e imobiliários que têm tentado os vários executivos, desde o PSD ao PS, levaram ao abandono inaceitável desta área e a cedências a futuros interesses económicos privados, prejudicando todos os utilizadores da Praia Formosa”, refere um comunicado da citada estrutura política.

Em Abril de 2018, na sessão da Assembleia Municipal do Funchal, foi aprovada uma Proposta de Resolução da CDU onde foi deliberado que a Câmara Municipal do Funchal deveria desenvolver todos os mecanismos e instrumentos (quer de ordenamento do território, quer financeiros, entre outros) no sentido de criar as condições para a requalificação da Praia Formosa aos mais diversos níveis, dando cumprimento ao consagrado em sede de Plano Director Municipal.

“A Praia Formosa é, reconhecidamente, uma zona balnear que poderia ser de excelência, que deve ser preservada no seu livre acesso ao mar e disponível para toda a população, não só do concelho do Funchal, como de toda a ilha e Região, um espaço de excelência para o lazer e fruição, com condições para permitir a instalação de equipamentos e infraestruturas que possibilitem e dinamizem a prática desportiva e o desenvolvimento humano”, diz a CDU, que denuncia a degradação da maior praia de acesso livre no Funchal, “transformada numa sucata e lixeira. Esta situação é não só irresponsável, mas recriminável a todos os níveis”.

“As potencialidades desta frente mar de excelência não têm sido aproveitadas e é urgente a salvaguarda deste património público, protegendo-o da especulação imobiliária, situação que já aconteceu em outras zonas da nossa Região com a destruição do litoral e a venda da orla costeira a pataco a interesses privados”, aponta-se.

Para a CDU, o que não pode acontecer é sermos confrontados daqui a alguns anos, com a possibilidade de todos quantos queiram aceder livremente à Praia Formosa depararem com restrições impostas por interesses privados ou tenham de pagar para aceder a esta zona de lazer, porque a Câmara do Funchal e o seu Executivo se iludiram e cederam à especulação dos lobbys, esbanjando um património que é de todos os cidadãos e de toda a cidade.