Estepilha: marco histórico entre dois cepos…

Rui Marote

O “Estepilha” não persegue ninguém nem “massacra” quem quer que seja. Mas há coisas que nos causam interrogações e mesmo ironias. Hoje finalmente revelou-se a natureza de um cubo de pedra envolvido num plástico, que já tínhamos detectado há vários dias na Avenida do Mar e que chegámos a pensar ser uma nova papeleira de lixo.
Afinal trata-se de de um marco assinalando o centenário da 1ªTravessia aérea Lisboa-Madeira. O Estepilha não tem nada contra a celebração desta efeméride louvável. Agora, colocar este cubo entre dois cepos de palmeira que foi atacada pelo escaravelho, não nos parece muito impactante para tão grande façanha.
O mais incrível é que nessa lápide regista-se o dia 22 de Março, e a mesma só hoje foi inaugurada pelo presidente da edilidade.
Recordamos que na Avenida do Mar  em frente à GNR  e ao lado da esplanada  “Verdinho” já existe um monumento assinalando essa travessia, e ao qual o Funchal Notícias fez referência  a 2 de Março de 2016.
A escultura já existente sobre a Travessia: algumas passagens da mesma quase que lembram antigos autocarros do Funchal…. como o carro do “Negus”…
A Avenida do Mar já é um depósito de esculturas de má qualidade. Sabemos do que estamos a falar: na Macedónia, onde as esculturas abundam por todo o lado como a de Alexandre o Grande, a estatuária enche os olhos ao visitante. Só um exemplo geográfico, para comparar com a fraca qualidade da maioria das que povoam, mal enquadradas, a nossa marginal…
A edilidade funchalense aparentemente “nada em dinheiro” para o gastar nestes “marcos” sem eira nem beira, Porque não assinalar este centenário com uma placa  anexada ao monumento já existente? Estepilha…