Parlamento madeirense testa deputados, funcionários e jornalistas

A Assembleia Legislativa da Madeira iniciou, hoje, a realização de testes rápidos ao Covid-19 (testes de deteção de antigénio) a todos os deputados, funcionários e jornalistas. Trata-se de uma medida complementar de prevenção para prevenir o risco de casos positivos em todos os locais de trabalho parlamentar, que vai ser repetida de 15 em 15 dias.

A possibilidade de realização de testes rápidos já havia sido analisada na reunião da Conferência dos Representantes dos Partidos do dia 14 de janeiro. Nesta conferência de líderes foi também determinada a redução do número de plenários, para dois por semana, e que as reuniões das comissões especializadas passariam a realizar-se à distância, por videoconferência e por deliberação eletrónica, reduzindo assim os riscos de contágio.

Os testes de deteção de antigénio estão a ser feitos, ao longo do dia, por uma empresa especializada na despistagem da doença, contratada pela Assembleia Legislativa da Madeira.  São colhidas amostras através de zaragatoa nasal, que depois são submetidas a uma análise para ver se existem proteínas específicas do SARS-CoV-2. Os resultados são obtidos 15 minutos depois.

Desinfeção do hemiciclo e do espaço parlamentar

Já esta tarde todo o hemiciclo volta a ser alvo de uma desinfestação com desinfetante de amplo espetro. A medida foi tomada pela Secretaria-Geral da Assembleia Legislativa da Madeira depois de na passada semana uma das vice-secretárias da mesa do parlamento madeirense ter testado positivo ao Covid-19. A desinfestação tem por objetivo garantir as condições de segurança para a realização dos plenários, que acontecem esta semana.

O Presidente, José Manuel Rodrigues, o Vice-Presidente, José Prada, e as secretárias da mesa, Clara Tiago e Cláudia Gomes, encontram-se em isolamento profilático. As comissões especializadas continuarão a trabalhar à distância, através de videoconferência e por deliberação eletrónica.