Estepilha, os números da Covid-19 nunca batem certo…

Rui Marote
Todos os dias os números da Covid-19, da Direcção Geral de Saúde e da Direcção Regional de Saúde, andam às avessas. É caso para perguntar se todos estudámos matemática pelo mesmo programa.
Fui um péssimo aluno em Matemática, embora tivesse excelentes professores, Joaquim Costa e o major Menezes. Mas a tabuada, para aprender, levei “nas unhas” e aprendi. Nunca contei pelos dedos. Hoje temos a calculadora no telemóvel… O homem da praça do peixe, do mercado, já não escreve com uma ponta de lápis no mármore da banca onde está exposto o atum e a espada. As contas batiam sempre certas, e alguns dos vendedores eram analfabetos. Hoje os tempos são outros: com o telemóvel envolvido por  um saco plástico protegido das mãos molhadas, faz-se as continhas sem esforçar a “caixa craniana”.
Todos os dias sou “abalroado” na via pública por cidadãos indignados que contestam os números da DGS e os do SESARAM. Afinal em que ficamos:-Quais são os verdadeiros?
Exemplificamos com os últimos números: nem com prova dos nove, com o “Camachinho” era um chumbo certo…
 DIA 29…………..DGS……105..……..SESARAM ….88
       ”  30………….    ”          91……….        ”           ….98
      ” 31……………   ”          101………        ”         …. 94
      ” 1……………..    ”           56……….       ”         …. 61
      ” 2………………   ”          110………        ”         …. 99
      ” 3………………   ”           120………        ”         …. 90
      ” 4……………..    ”             264……….       ”       ….  97
       “5………………    ”             107……….       ”       …. 108
       “6……………….    ”             121……….      ”         ….  91
       “7………………..    ”              136………       ”         ….   79