Cláudia Monteiro de Aguiar insiste na pressão para o apoio europeu à renovação da nossa frota pesqueira

A deputada social-democrata Cláudia Monteiro de Aguiar espera uma intervenção firme do ministro do mar, Serrão Santos, em defesa da ultraperiferia, dado que o Parlamento Europeu, conforme aponta, não cede no apoio à renovação da frota pesqueira na Madeira.

Na reunião realizada, esta semana, para coordenar a estratégia das negociações em curso do FEAMP, a vice-presidente da Comissão de Pescas pediu ao negociador do Parlamento Europeu, responsável pelo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas, “firmeza na recta final da negociação dos apoios à renovação da frota pesqueira das regiões ultraperiféricas”.

“Perante uma frota envelhecida e cujas condições de segurança estão, em muitos casos, comprometidas, é importante, conforme sublinha Cláudia Monteiro de Aguiar, “assegurar que este fundo apoiará os pescadores de pequena escala na recuperação das embarcações que ainda podem ser recuperadas e, também, na construção e compra de embarcações novas”. E isto porque, segundo refere, se este apoio aos pescadores for negado, “em particular aos das regiões ultraperiféricas e perante a crise económica que atravessamos, muitos não conseguirão sobreviver, colocando-se em causa um sector que assume muita importância, neste caso para a Madeira e, inclusivamente, a sobrevivência da indústria de construção naval”, refere uma nota de imprensa.

“Tendo em consideração as políticas da União Europeia, sobretudo no que diz respeito ao Pacto Ecológico Europeu, a renovação das frotas faz todo o sentido, pois só assim poderemos ter navios mais sustentáveis, modernos, seguros e amigos do ambiente”, insiste Cláudia Monteiro de Aguiar, que é taxativa ao afirmar que “é fundamental garantir também o rejuvenescimento de todo o sector, tornando-o apelativo aos mais jovens, sendo importante que o próprio FEAMP apoie financeiramente os pescadores com menos de 40 anos na aquisição da primeira embarcação”.

A eurodeputada do PSD refere, ainda, “que a pressão para que estas questões não sejam chumbadas recai também sobre os Estados-Membros, e que o Governo da República, em particular, tem um papel preponderante em convencer os restantes Estados a apoiar a posição Portuguesa, Espanhola e Francesa, três países com Regiões Ultraperiféricas. O actual Ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, apoiou estas medidas enquanto eurodeputado, conhece a realidade portuguesa e representa neste momento Portugal a nível europeu”, vincou.