Novo comandante do RG3 toma posse amanhã

Decorre amanhã, dia 13, às 09h15, no Regimento de Guarnição N.º3 (RG3), a cerimónia de tomada de posse do novo comandante do Regimento, o coronel de Infantaria Pedro Brito Teixeira.
A cerimónia será presidida pelo comandante da Zona Militar da Madeira, brigadeiro-general Pedro Sardinha, e incluirá a prestação de honras militares, a leitura do despacho de nomeação e da síntese curricular do oficial, seguindo-se a assinatura do termo de posse e entrega do Estandarte Nacional confiado à guarda do RG3, actos que simbolizam a assunção do comando.

O comandante da ZMM proferirá depois uma alocução.

O Coronel Brito Teixeira nasceu em 1968, em Lisboa, tendo ingressado na academia militar em 1986. Concluiu a licenciatura em Ciências Militares, na Arma de Infantaria e ingressou no Quadro Permanente em 1991. Ao longo da sua carreira assumiu variadas funções de comando, chefia, estado-maior e de assessoria no Exército e em organismos internacionais, tendo sido promovido, sucessivamente, a Tenente (1992), Capitão (1996), Major (2002), Tenente-coronel (2007) e Coronel (2019).

Entre 1991 e 1996, desempenhou funções de comandante de pelotão e instrutor, no Batalhão de Infantaria de Aveiro, na Escola Prática de Infantaria, no Centro Militar de Educação Física e Desportos, na Academia Militar e no 1º Batalhão de Infantaria Mecanizado da Brigada Mecanizada (1º BIMec/BrigMec).

Como Capitão, comandou a 1ª e 3ª Companhia da Atiradores Mecanizada do 1º Batalhão de Infantaria Mecanizado da Brigada Mecanizada (1996-99). Exerceu as funções de Ajudante de Campo do Chefe de Estado-Maior do Exército, entre 1999 e 2000.

Como Major, desempenhou os cargos de Adjunto do Oficial de Operações da Brigada Mecanizada, Oficial de Operações do 2º e do 1º Batalhão de Infantaria Mecanizado (2002-04). Exerceu as funções de 2º Comandante, do 1º BIMec/BrigMec (2004-06).

Esteve colocado no Operational Preparation Directorate (OPD), sediado em Lisboa (2006-09), (Allied Command of Operations da NATO), como oficial de estado-maior do grupo de planeamento para a padronização do processo de certificação das NATO Response Force (NRF), e coordenação do treino operacional e certificação das NRF.

Como Tenente-Coronel, esteve colocado no Estado-Maior do Exército, onde chefiou as Repartições de Capacidades e em acumulação, num período específico, a de Planeamento Estratégico, na Divisão de Planeamento de Forças do Estado-Maior do Exército (2009-12). Acumulou durante este período, as funções de ponto de contacto do Exército para os assuntos de Investigação, Inovação e Desenvolvimento.

Comandou o 1º Batalhão de Infantaria Mecanizado (2012-14), da Brigada Mecanizada. Chefiou a Repartição de Doutrina e Treino Operacional e a Área de Operações, do Comando das Forças Terrestres (2014-17).

No contexto das Operações de Resposta a Crises, concretizou na Bósnia Herzegovina nos anos de 1997 e 1999, duas missões sob o mandato da Organização Tratado Atlântico Norte (NATO):

Comandou a 1ª Companhia de Atiradores Mecanizada (1997); e foi o Oficial de Informações, do 3º Batalhão de Infantaria Motorizado (1999).

No âmbito das NATO Response Force 5, exerceu as funções de Oficial de Operações, 2º Comandante e chefe de estado-maior do Agrupamento Mecanizado, NATO Response Force 5 (2004-05), onde se releva a projecção de forças do Agrupamento, para Espanha, no âmbito da participação no exercício de fogos reais, designado de COHESION 05.

Também no contexto de Operações de Estabilização da NATO, cumpriu duas missões no Teatro de Operações do Kosovo: foi o 2º Comandante e chefe de estado-maior, do 1º Batalhão de Infantaria Mecanizado no Kosovo, que se constituiu como reserva tática da força NATO na operação JOINT ENDEAVOUR (2006); comandou o Batalhão da reserva tática das Forças NATO no Kosovo (KFOR), designada de KOSOVO Tactical Manoeuvre Battalion (KTM), força constituída por 400 militares, de nacionalidades Portuguesa e Húngara (2014).

Entre Setembro de 2017 e janeiro de 2019, liderou a Comunicação Estratégica e Informação Pública da missão European Union Training Mission da República Centro-Africana (EUTM RCA 2018), integrando desde setembro de 2017 a equipa de planeamento do contingente nacional, que liderou a missão, no âmbito das missões de Segurança e Defesa da União Europeia.

Após o regresso da República Centro-Africana foi nomeado como Adjunto do Gabinete do Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército (2019) e, posteriormente, é designado para exercer as funções de Chefe da Área de Operações do Estado-Maior do Comando das Forças Terrestres (2020). Concomitantemente, durante o período de Março a Julho de 2020, liderou a Célula de Resposta 02, do Exército, responsável por desenvolver o processo de apoio à decisão, o planeamento e a execução da Campanha do Exército, no apoio às autoridades nacionais, no quadro da pandemia COVID-19.

Participou em actividades de treino operacional de cariz tático e operacional, conjunto e combinado das quais se destacam: DYNAMIC MIX 96; STRONG RESOLVE 98; demonstrações de fogos reais de escalão Companhia, Batalhão e Brigada entre 2002-2006 e 2012-2014; HAWK 02; COHESION 05; ORÍON 15, 16, 17 e 19, TRIDENT JUNCTURE 15 e exercícios NATO da série STEADFAST 07, 08 e 09.

Para além dos cursos curriculares possui, entre outros, a pós-graduação, em Prospectiva, Estratégia e Inovação, do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa (2011), o curso NATO Defense Planning (2010), NATO Informations Operations (2009), frequentados na escola NATO, em Oberammargau, Alemanha, e o estágio de estados-maiores conjuntos no instituto de altos estudos da Força Aérea (2002).

Tem artigos publicados em revistas de Segurança e Defesa desde o ano 1999. Integra a lista de autores dos livros “Reflexões de experiência feita – NRF 5”, e “Da Fundação do BIMec ao 1BIMec” e Testemunhos de Catorze Anos de Forças Nacionais Destacadas no Kosovo: Foças Lusas nos Caminhos da Paz (1991-2001e 2005-2017). Dos artigos escritos publicou em 2009, na Revista Militar, e na Revista de Segurança e Defesa o artigo intitulado – Na procura do Alvo: A Utilidade da Força; em 2012 publicou na página electrónica dedicada a questões de Defesa, Forças Armadas e Segurança designada, Operacional, o artigo denominado – O Desafio da Defesa e Segurança em 2030. Realizou diferentes apresentações salientando-se em 2015 na Academia Militar: “O Treino Operacional numa UEB”; e para o mestrado de liderança, “A Doutrina Comando-Missão, e o Capital Humano”.

Foi o palestrante nomeado pelo Exército para, em 2016 no âmbito da FINABEL[1], apresentar o tema  “From the Defense & Security to the Army Readiness” e em 2019, no Agility Forum 2019, em representação do Exército, foi designado para expor a apresentação sobre o tema “The Strategic Fluidity in a Complex, Uncertain and Interconnected World”. Tem colaborado em 2019 e 2020, com o Instituto de Defesa Nacional para o Curso de Gestão de Crises, no âmbito da partilha de conhecimento e dos desafios da missão da União Europeia na República Centro-Africana 2018, no quadro da participação nacional e dos efeitos da Guerra Híbrida.

É condecorado com a Medalha de Serviços Distintos (Prata), a Medalha de Mérito Militar (2ª e 3ª classe), a Medalha de D. Afonso Henriques (2ª e 3ª classe), a Medalha de Ouro de Comportamento Exemplar, Medalha de serviço de mérito NATO, da Hungria, Medalha da União Europeia, Medalhas de missões de paz da Itália, França e República Centro-Africana.

O Coronel Pedro Brito Teixeira é casado, tem uma filha com 21 anos e um filho com 16 anos.

[1] Reunião do Comité de Peritos Militares Principais da Finabel, que contabilizou 21 países membros, que integram a Aliança e a UE.