José Manuel Rodrigues sublinha importância da associação “Abraço”

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira deu hoje continuidade ao ciclo de visitas do Parlamento Social Mais Perto, indo à  associação Abraço, que promove a qualidade de vida das pessoas infectadas com VIH/SIDA e das respectivas famílias.

A delegação da Madeira apoia 237 pessoas, 87 das quais são crianças; nenhuma destas crianças é portadora da doença, refere uma nota da ALRAM. Além de garantir a aposta na prevenção, na informação e investigação, a Abraço luta ainda contra o estigma, a discriminação e a defesa dos direitos das pessoas portadoras de SIDA.

José Manuel Rodrigues considera que o “Presidente do parlamento, enquanto representante do Órgão que representa povo da Madeira e do Porto Santo, tem o dever de dar a conhecer” as Instituições Particulares de Solidariedade Social. “O papel do Presidente do Parlamento é mostrar à comunidade madeirense aquilo que comunidade madeirense também suporta através dos seus impostos”, explicou aos jornalistas, porque estas instituições também, de alguma forma, são apoiadas pela Região Autónoma da Madeira e pelo Orçamento da Segurança Social.

“Este é o corpo social da nossa comunidade. São estas instituições que tratam dos pobres, dos descartados da nossa sociedade, daqueles que estão doentes e daqueles que têm mais necessidades”. E vincou que a “Abraço é um bom exemplo de apoio aos que numa determinada fase da sua vida contraíram SIDA, que precisam de apoio e têm muitas carências”.

O Presidente da Assembleia legislativa da Madeira realçou também o trabalho extraordinário que tem sido feito a favor das crianças. “O projecto ‘ABC Criança’ que eu apoiei durante muito anos tem uma taxa de sucesso notável, porque foi possível encaminhar essas crianças para o ensino. Muitas delas, cerca de 8, ingressaram no ensino superior e hoje estão inseridas no mercado laboral”. José Manuel Rodrigues considera que “se não existissem instituições como esta, a Abraço, eventualmente teríamos crianças e jovens com comportamentos desviantes.”

O projeto ABC Criança foi criado em 2001 e desde então garante apoio ao estudo, assente num acompanhamento individualizado. Apresenta uma taxa de sucesso de 99,9%.

A delegação da Madeira serve 5 refeições diárias aos utentes, sendo que o jantar não é presencial. Este ano, deram entrada na Associação 8 novos utentes, entre estes alguns emigrantes. A Abraço proporciona ainda testes rápidos gratuitos a todas as pessoas que o solicitem. A maioria dos utentes chega à Associação através do Hospital Central do Funchal.

A Associação recebe da Segurança Social 163 mil euros anuais.