Presidente da CMF reuniu-se com cônsul português em Caracas

O edil funchalense, Miguel Silva Gouveia, recebeu nos Paços do Concelho o cônsul-geral de Portugal em Caracas, Licínio Bingre do Amaral. O autarca e o cônsul português aproveitaram a ocasião para abordar o papel da emigração madeirense e a crise de saúde pública e socioeconómica que o país atravessa, refere nota camarária.

Miguel Gouveia referiu ter tido a oportunidade de trocar algumas impressões sobre como a comunidade portuguesa naquele país está a ultrapassar esta fase pandémica, uma crise de saúde pública que se sobrepõe à crise mais profunda que a Venezuela tem vindo a atravessar no campo socioeconómico. “Pude constatar que o Estado Português tem estado atendo a estas questões e tem mantido diversas iniciativas que procuram a proximidade junto da nossa diáspora espalhada pelo mundo”, disse.

A comunidade portuguesa residente naquele país é representada na sua maioria por luso-venezuelanos provenientes da Região Autónoma da Madeira. “Mesmo neste período conturbado da história venezuelana é interessante perceber que a nossa comunidade continua a contribuir activamente para o desenvolvimento económico, estando na linha da frente na produção de bens essenciais, nomeadamente ao nível da alimentação, garantindo que toda a sociedade e a actividade económica da Venezuela continuem a funcionar”, referiu.

A reunião serviu ainda para abordar o regresso dos emigrantes madeirenses e dos seus descendentes à Madeira e ao Funchal. “A Câmara Municipal do Funchal tem procurado apoiar e responder às preocupações que têm sido manifestadas por esta comunidade, desenvolvendo iniciativas com o intuito de esclarecer dúvidas que possam ter, orientar e facilitar o processo de integração”, garantiu Miguel Gouveia, que realçou ainda o investimento que tem sido feito aqui no Funchal, inclusive na área da Reabilitação Urbana, “por alguns grupos de investidores luso-venezuelanos, que têm contribuído activamente para a criação de emprego e dinamização económica do nosso concelho”.