Entrevista a Paulo Cafôfo (2): António Costa vem ao congresso do PS-M marcado para 19 e 20 de setembro

FOTOS RUI MAROTE.

Existem quase 2.000 militantes do PS-Madeira aptos a exercer o seu direito de voto no próximo sábado. Vão escolher o novo líder regional, Paulo Cafôfo.

Em entrevista ao Funchal Notícias, Paulo Cafôfo disse que António Costa vem ao congresso regional do partido, em Setembro.

Sobre o “caso do Monte”, respeita a justiça e o seu tempo.

FUNCHAL NOTÍCIAS: O congresso regional do PS-M será a 19 e 20 de setembro, conta com a presença de António Costa? 

PAULO CAFÔFO.: Devo dizer que o António Costa me confirmou pessoalmente a sua presença aquando das anteriores datas do Congresso, que se iria realizar em Maio, e neste momento a Comissão Organizadora do Congresso ainda está a tratar das questões burocráticas do evento em setembro para enviar os convites oficiais. Dado os compromissos que tem tido, nomeadamente as difíceis negociações do pacote de ajuda europeu, ainda não tivemos oportunidade de voltar a falar sobre matérias estritamente partidárias.

F.N.: O que reserva Paulo Cafôfo para o actual líder do PS-M, Emanuel Câmara? 

P.C.: O Emanuel Câmara tenho a certeza que será novamente o próximo Presidente da Câmara de Porto Moniz, com um excelente resultado, derivado do magnífico trabalho que tem feito à frente dos destinos do município e que se estende à sua equipa e aos Presidentes e membros das Juntas de Freguesia. Terão todos e todas o nosso melhor apoio e empenho, de modo a continuar a fazer a diferença no norte da região. Como referi anteriormente, as eleições autárquicas são a nossa prioridade, e é nisso que devemos estar focados.

FN: Sente-se confortável na pele de deputado, não sendo líder parlamentar? 

P.C.: Não me parece lógico o Presidente do PS ser líder parlamentar, julgo até que seria inédito na Região. Temos um grupo extraordinário de 19 deputados eleitos, representando todas as geografias da Região, muito qualificados, e têm feito um trabalho enorme, seja na apresentação de propostas seja na fiscalização e escrutínio da atividade governamental. Somos o grupo parlamentar com mais atividade, e temos marcado a agenda política de forma contundente. E tenho recebido esse mesmo feedback por parte das pessoas que encontro e me abordam na rua. Nada será como antes, e o grupo parlamentar na ALRAM tem tido um papel fundamental para defender a mudança de paradigma governativo que almejamos.

Aproveito igualmente para elogiar o trabalho da nossa eurodeputada Sara Cerdas, que tem tido um papel muito ativo no Parlamento Europeu, em particular durante esta crise pandémica, e será inclusive a relatora dos trabalhos relativos ao Programa Europeu de Saúde, que terá um orçamento acrescido, e é uma grande responsabilidade. Igualmente louvo o trabalho dos deputados na Assembleia da República, liderados pelo Carlos Pereira, que tem tido uma grande assertividade na defesa da Madeira na AR, e propondo diversas medidas muito válidas neste contexto de crise socioeconómica.

Como Presidente do PS Madeira quero um partido de atividade abrangente e total, em todos os parlamentos e autarquias, em todos os órgãos e estruturas de base, onde todos e todas têm o seu espaço de intervenção e participação, e creio que o meu papel é liderar e motivar as pessoas, promover a coesão do partido, intensificar o ritmo do trabalho, sempre em prol da população que nos elegeu, e que na sua maioria social quer uma mudança política na Madeira e Porto Santo.

F.N.: O que espera da Justiça no caso da queda da árvore no Largo da Fonte a 15 de agosto de 2017?  

Vou manter a postura que tive até aqui, que é de respeitar a justiça e o seu tempo. (fim)