CMF implementa desfibrilhadores na cidade em investimento de 55 mil euros

A Câmara Municipal do Funchal está a implementar em todo o concelho um programa de desfibrilhação automática externa, que prevê a instalação de 24 desfibrilhadores. O investimento municipal de cerca de 55 mil euros pretende dotar os espaços públicos do equipamento médico que em caso de paragem cardio-respiratória pode salvar vidas, diz uma nota da CMF.

O  edil funchalense Miguel Silva Gouveia explica que “o programa, sob o planeamento e coordenação técnica do Corpo de Bombeiros Sapadores do Funchal (CBSF) e da validação do Serviço Municipal de Protecção Civil (SMPC), tem por objectivo a instalação de 24 postos de desfibrilhadores automáticos externos (DAE), dos quais três foram instalados nas ambulâncias do CBSF, e os restantes 21 em edifícios camarários e em locais que normalmente são de maior afluência populacional, nomeadamente junto ao Teatro Municipal Baltazar Dias e no Mercado dos Lavradores.”

“Tendo em conta que em Portugal as doenças cardiovasculares constituem um dos problemas de saúde mais graves para a população e que os dados dão conta de que em ambiente extra-hospitalar, a utilização de DAE por pessoal não médico aumenta significativamente a probabilidade de sobrevivência das vítimas, este investimento do Município de cerca de 45 mil euros + IVA representa um esforço deste Executivo em prol da saúde pública de modo a  aumentar a taxa de sobrevivência em caso de paragem cardio-respiratória”, realça o presidente.

O DAE é um dispositivo médico electrónico portátil que, manuseado por pessoas com formação em suporte básico de vida, em situações de paragem cardio-respiratória, analisa o ritmo cardíaco do sinistrado e, nos casos apropriados, aplica uma descarga eléctrica com o intuito de retomar um ciclo cardíaco normal. São equipamentos fiáveis e seguros, sendo inexistente a probabilidade de administrar uma descarga eléctrica numa situação não recomendada, refere uma nota à comunicação social.