Marcelo não comenta candidatura de Albuquerque; elogia Madeira como destino seguro

Foto arquivo (L.Rocha)

O presidente da República disse hoje à chegada à Madeira para a sua nona visita presidencial, que não veio mais cedo porque teria de fazer quarentena. Na oportunidade, Marcelo Rebelo de Sousa manifestou-se ainda crente de que tudo correrá pelo melhor com a Grã-Bretanha, acreditando que serão ultrapassadas as situações contraditórias quanto à obrigatoriedade dos cidadãos daquele país fazerem quarentena quando chegarem da Madeira. Por outro lado, escusou-se a comentar uma eventual candidatura presidencial de Miguel Albuquerque, referindo que não pode apoiar nem deixar de apoiar candidatos.

Esperava-o, precisamente, Miguel Albuquerque, na qualidade de presidente do Governo Regional da Madeira, além do vice-presidente, Pedro Calado, e de dois secretários regionais, Eduardo Jesus e Pedro Ramos.

Na ocasião, deu também a entender que a sua visita se prende com a afirmação da RAM como um destino seguro para o turismo e deixou clara a sua boa impressão com o modo como as autoridades regionais e a população lidaram, e continuam a lidar, com a pandemia.