TAP com preços altos em junho mas mais acessíveis em julho, agosto e setembro; há viagens (ida e volta) a 80,55 euros; Saiba tudo sobre os procedimentos

A TAP começa gradualmente a sua retoma neste mês de junho e já está a anunciar as medidas de higiene e segurança a bordo, com indicações sobre o que se irá passar em junho, que hoje começou, e julho, com o final da quarentena decretada pelo Governo Regional.

Mas no contexto da contenção da Covid-19, surge também o primeiro impacto que se coloca a quem pretende viajar, incidindo naturalmente nas datas mas também nos preços. Junho está em “cima” e o custo das viagens também é já elevado, anda à volta, em média, dos 500 euros ida e volta, sendo que para julho, agosto e setembro, sobretudo estes dois últimos, encontramos viagens baratas em algumas datas.

Para julho, a transportadora aérea nacional disponibiliza viagens já a um preço não muito baixo, embora em alguns dias possamos encontrar um percurso a 38,46 euros. O preço, ida e volta, ronda os 374,18 euros, para uma ida a 16 de julho e regresso a 31 de julho, mas se já se for a ida a 1 de julho (209,09) e o regresso a 10 de julho (38,46) já sai mais em conta, tendo em conta uma pesquisa aleatória e com um intuito meramente indicador.

Mas podemos encontrar preços mais baratos na TAP em agosto, onde a pesquisa levou a 80,55 euros, ida e volta nas datas 5/08-21/08, bem como de 147,55 euros nas datas 22/08-1/09.

No mês de setembro, encontramos algumas datas disponíveis a preços aceitáveis, como por exemplo com ida a 5 (109,09) e regresso a 20 (38,46). Ou ida a 15 (129,09) e regresso a 30 (38,46).

Relativamente às medidas, a companhia divulga um conjunto de procedimentos, no seu site oficial, que é conveniente ler antes de proceder a qualquer reserva para a Madeira:

“Ao programar a sua viagem para a Madeira e Porto Santo, é importante conhecer as normas em vigor nesta Região, no âmbito da prevenção e contenção da COVID-19.

1 – É obrigatório o preenchimento do inquérito epidemiológico. Para sua comodidade poderá preenchê-lo aqui nas 12 a 48 horas prévias ao embarque.

Mês de junho: 

  • Todos os passageiros de voos provenientes do exterior que sejam portadores de teste negativo para a doença COVID-19, efetuado nas 72 horas prévias ao desembarque, em laboratórios certificados pelas autoridades nacionais ou internacionais, ao desembarcar, seguem para o seu destino, mediante a apresentação do respetivo relatório que pode, também, ser submetido, antecipadamente, em conjunto, com o inquérito referido no ponto 1.
  • Todos os passageiros de voos provenientes do exterior que não sejam portadoras de testenegativo para a doença COVID-19, efetuado nas 72 horas prévias ao desembarque, em laboratórios certificados pelas autoridades nacionais ou internacionais, estão obrigados a cumprir quarentena num estabelecimento hoteleiro designado para o efeito, com o acompanhamento das Autoridades de Saúde (não se aplica aos doentes em tratamento, que podem submeter os documentos  antecipadamente, em conjunto com o inquérito referido no ponto1).

A partir de 1 de julho: 

  • Todos os passageiros de voos provenientes do exterior que sejam portadores de teste negativo para a doença COVID-19, efetuado nas 72 horas prévias ao desembarque, em laboratórios certificados pelas autoridades nacionais ou internacionais, ao desembarcar, seguem para o seu destino, mediante a apresentação do respetivo relatório que pode, também, ser submetido, antecipadamente, em conjunto, com o inquérito referido no ponto 1.
  • Os passageiros desembarcados nos aeroportos da Região Autónoma da Madeira que não tenham realizado teste para a doença COVID-19, fá-lo-ão no respetivo aeroporto, à chegada. Após a realização do teste, o passageiro seguirá para o seu destino. O passageiro será informado do resultado nas 12 horas seguintes.

Como medidas complementares de prevenção da COVID-19 na Região Autónoma da Madeira são recomendados:

  • Uso de máscara, em especial, em espaços fechados e transportes públicos (obrigatório);
  • Distanciamento social (2 metros entre as pessoas e evitar aglomerados);
  • Higienização frequente das mãos;
  • Etiqueta respiratória.

Para a segurança e proteção de todos, cumpra com as recomendações.