“Hoje, Quinta-Feira Santa, foi realmente um santo dia para a RAM”, constata Pedro Ramos

“Hoje, Quinta-Feira Santa, foi realmente também um santo dia para a Região Autónoma da Madeira”. Foi assim que o secretário regional com a tutela da Saúde, Pedro Ramos, se congratulou com o facto de, de ontem para hoje, não se ter verificado nenhum caso novo de Covid-19, apesar de, conforme garantiu, “termos realizado muitos testes”.

Assumindo que esta época pascal está a ser cumprida de modo diferente, pois “só assim podemos continuar a proteger as nossas famílias e todos os que nos rodeiam”, Pedro Ramos elogiou os movimentos de solidariedade que continuam a manifestar-se, tendo destacado hoje uma acção conjunta de todas as Ordens profissionais da RAM, que iniciaram uma campanha de recolha de fundos para aquisição de material hospitalar e apoio aos mais carenciados. Trata-se da Ordem dos Advogados, dos Arquitectos, dos Biólogos, dos Economistas, dos Enfermeiros, dos Engenheiros, dos Engenheiros Técnicos, dos Farmacêuticos, dos Médicos, dos Médicos Dentistas, dos Médicos Veterinários, dos Psicólogos, dos Contabilistas, dos Nutricionistas e dos Solicitadores e Agentes de Execução.

“Hoje é um dia diferente. É o segundo dia em que temos novamente um dia sem registar casos, apesar de fazermos muitos testes”, insistiu o governante.

Bruna Gouveia, vice-presidente do IASAÚDE, traçou então na habitual conferência de imprensa diária a evolução da situação epidemiológica na Região. Não havendo casos novos a reportar, mantém-se o total de 50 casos positivos identificados na RAM, incluindo ainda apenas um caso recuperado. 371 casos testados deram negativo, até hoje. “Neste momento temos 55 casos notificados que aguardam exames e respectivos resultados”, disse. Totalizaram-se hoje 476 casos suspeitos estudados desde 29 de Fevereiro, mais 79 do que ontem. Um aumento que, salientou, reflecte “um maior número de testes a serem realizados e uma maior investigação dos casos potenciais de infecção”.

Os doentes com Covid-19 que se encontram internados continuam a ser dois e em estado estável, um na unidade de Cuidados Intensivos dedicada à Covid-19, e o outro na unidade de internamento geral dedicada a esta doença.

Em relação aos restantes doentes, os mesmos encontram-se em isolamento domiciliário. 13 deles encontram-se em isolamento em unidade hoteleira designada. “Em relação às pessoas que estão a ser acompanhadas pelas entidades de Saúde, hoje temos identificadas 494 pessoas em vigilância activa. Destes, dois são profissionais de saúde”, acrescentou Bruna Gouveia. Uma diminuição relacionada com o fim dos 14 dias de isolamento, apontou.

294 pessoas estão em isolamento em unidades hoteleiras. 14 delas estão no hotel Praia Dourada, no Porto Santo, 3 no hotel Quinta do Lorde, 257 no hotel Vila Galé e 20 no hotel D. Pedro Machico.

Foram feitos 27 testes de rastreio à Covid-19 ao primeiro grupo que esteve em isolamento numa unidade hoteleira. Os resultados, disse a vice-presidente do IASAÚDE, foram todos negativos. Estas pessoas terminaram hoje o seu período de quarentena no hotel, tendo regressado ao seu domicílio.

Em relação às pessoas que estão em auto-vigilância, hoje há 306 pessoas em vigilância passiva.

Bruna Gouveia insistiu, tal como Pedro Ramos, na questão da realização de testes na RAM: “Têm questionado, mas importa clarificar que até ao momento foram realizados 771 testes à Covid-19 no laboratório do Serviço de Saúde da RAM, o que corresponde a 530 pessoas que fizeram colheitas no espaço dedicado à Covid-19 no Hospital Dr. Nélio Mendonça, e 225 colheitas que foram feitas nas unidades hoteleiras. Atenção que os números não são idênticos, porque uma pessoa pode fazer mais do que uma colheita e mais do que um teste, e isso tem acontecido, há repetição de testes para as mesmas pessoas”, alertou.

Desde a última terça-feira, são alvo de despiste à Covid-19 todos os doentes internados no Serviço de Saúde da RAM, provenientes da área médica do Serviço de Urgência, os doentes oncológicos, os doentes do foro respiratório e agora também as grávidas, além dos doentes que, estando no Hospital, sejam transferidos para lares de 3ª idade ou para as casas de Saúde Mental da Região.

Relativamente aos testes realizados a grupos de risco no sector social, ontem 3 pessoas em situação de sem-abrigo tinham realizado testes e aguardavam resultado. O mesmo foi negativo, perfazendo então um total de 33 pessoas sem-abrigo com resultado negativo e que estão a ser acompanhadas pelo Instituto de Segurança Social da Madeira.

O recurso à linha SRS 24 mantém uma tendência de diminuição. A procura nas últimas 24 horas foi de 65 chamadas, num total de 5486 chamadas desde o início da actividade.