Governo Regional admite medidas próprias para o final do ano letivo na Região

A secretaria regional da Educação deixa uma mensagem de “tranquilidade, na certeza de que serão encontradas soluções para assegurar uma conclusão do ano letivo apropriada às circunstâncias excecionais que vivemos”.

A secretaria regional de Educação, Ciência e Tecnologia (SRE) deu conta, hoje, que na próxima segunda-feira, 13 de abril, após o plenário extraordinário do Governo Regional que se realiza nesse dia, serão anunciadas as medidas relativas à organização da parte final do ano letivo 2019/2020 na Região.

“As condições específicas da Região, em termos sanitários bem como no que respeita às
competências na gestão do sistema educativo, recomendam a adoção de medidas próprias, ainda que devidamente enquadradas com as decisões nacionais sobre a matéria hoje anunciadas”, revela uma nota da secretaria de Jorge Carvalho.
“Às comunidades educativas, das estruturas de direção aos corpos docentes, passando pelas diversas categorias de funcionários, aos estudantes e suas famílias, a SRE deixa uma mensagem de tranquilidade, na certeza de que serão encontradas soluções para assegurar uma conclusão do ano letivo apropriada às circunstâncias excecionais que vivemos”.
Esta posição do Governo Regional surge no dia em que o primeiro ministro anunciou a formula nacional para o final do ano letivo, sendo que o Ensino Básico será feito apenas à distância, sem provas de aferição nem exames, além de que no Ensino Secundário existem algumas dúvidas sobre os 11º e 12 anos, uma vez que o 10º ano será igualmente completado à distância.
Quanto aos 11º e 12º anos, António Costa disse que a decisão sobre o regresso às aulas presenciais ainda não está tomada, mas para ganhar tempo já foram adiadas as datas dosa exames nacionais, a primeira época entre 6 e 23 de julho e a segunda época entre 1 e 7 de setembro. O ano letivo seria cumprido até 26 de junho.