Região prepara acordo com RTP-M para salvaguardar final do ano escolar

Com a declaração de novo período de “estado de emergência”, que termina a 17 de abril, e com os indicadores que apontam para o final de maio o “pico” da COVID-19 em Portugal, resultando daí a possibilidade de um terceiro período de “emergência” no País, muito dificilmente ocorrerá o regresso às aulas presenciais para finalizar o ano letivo, ganhando cada vez mais a forma de utilização dos meios tecnológicos.

Hoje, o primeiro-ministro disse que a data limite para essas aulas presenciais está apontada para 4 de maio, sendo que a decisão nacional sobre a reabertura ou não das escolas, acontecerá a 9 de abril depois de António Costa falar com os agentes educativos, investigadores e todos os partidos com assento parlamentar, no sentido de uma decisão consensual.

O Funchal Notícias sabe que, na Região, o Governo Regional já estará, também, a preparar uma estratégia tendo em vista a possibilidade do final do ano letivo não acontecer com aulas presenciais. Para isso, haverá já um acordo estabelecido com a RTP-Madeira para que esteja no centro da solução de acompanhamento das aulas em casa. Um pouco a reedição do que, em tempos, foi a telescola.