42 infectados: Pedro Ramos admite “cercas sanitárias” e diz que as mesmas não devem ser contestadas

O secretário regional da Saúde e Protecção Civil referiu agora, no âmbito da conferência diária do IASAÚDE, que as cercas sanitárias podem vir a ser necessárias na Madeira, e que as mesmas não devem ser contestadas. Pedro Ramos defendeu “medidas robustas” para a protecção dos madeirenses e dos porto-santenses contra o novo coronavírus. O governante elogiou também a actuação dos profissionais de saúde e pediu-lhes para compreender que a reorganização dos serviços de saúde é necessária, com todas as exigências que coloca a quem trabalha em unidades hospitalares ou centros de saúde, inclusive em termos de reorganização de horários. Agradeceu especialmente a todos os que trabalham “na linha da frente”.