Cafôfo apresentou projecto para o PS-Madeira em Santana

O candidato à liderança do PS-Madeira, Paulo Cafôfo, reuniu-se, ontem, com os militantes de Santana para dar a conhecer a sua estratégia e ideias para o partido, apresentado um projecto que, afirma, visa ser o futuro do PS-M e de alternativa para a RAM.

O candidato apresentou aos militantes de Santana a estratégia e ideias que pretende adoptar no partido. Sublinhou que para “avançar a Madeira pelas pessoas”, lema da sua campanha, é preciso consolidar e aumentar a confiança da população no projecto socialista, destacando que “esta candidatura pretende aumentar a proximidade entre os diferentes órgãos do partido”.

Cafôfo referi ainda ideias e propostas que tem preparadas para Santana concelho e todo o Norte da ilha, a fim de combater o despovoamento dessas zonas.

“Promover a coesão territorial faz-se com estratégias concretas, apresentado soluções para que as pessoas não abandonem o Norte, através da dinamização e desenvolvimento da economia local e com medidas que possam, efectivamente, garantir qualidade de vida a quem decidir permanecer”, frisou.

Por outro lado, Paulo Cafôfo destacou o facto de Santana não estar esquecida para o PS-Madeira, enaltecendo o papel da deputada Tânia Freitas, na Assembleia Legislativa da Madeira, que expõe a realidade de quem vive no Norte, num trabalho que classifica de “excepcional”, no que toca à defesa dessas populações, através de apresentação de propostas e ideias que visam melhorar a vida de quem resiste na costa Norte.

As próximas eleições autárquicas também foram assunto, onde o candidato à liderança do PS-Madeira reforçou a ideia que “não será agora o CDS unido com o PSD que irá fazer o melhor por Santana”, recorrendo a vários exemplos que demonstram um esquecimento e abandono por parte do Governo Regional à zona Norte. Enumerou a propósito alguns dos problemas que acontecem em Santana: ao nível do acesso aos cuidados de Saúde, a fraca aposta nos jovens, os poucos incentivos na dinamização da economia local, entre outros.

“Não queremos que Santana seja só reconhecida como uma marca turística da Madeira, apenas com as casinhas típicas, precisamos que seja reconhecida também pela qualidade de vida dos seus habitantes, pela economia local dinamizada e pela aposta nos jovens. Para isso, podem contar com o Partido Socialista para ser o percursor dessa mudança”, concluiu.