Sara Cerdas debateu Pacto Ecológico Europeu com alunos de Santana

A eurodeputada socialista Sara Cerdas esteve hoje de manhã na Escola Básica e Secundária Bispo D. Manuel Ferreira Cabral, em Santana, para debater com os estudantes a biodiversidade e o Pacto Ecológico Europeu, sobre como tornar a economia da União Europeia sustentável e como impulsionar este concelho enquanto destino verde.

A iniciativa sucedeu no âmbito da quarta Edição do Roteiro Geração Madeira, dedicada ao tema ‘Biodiversidade, Pacto Ecológico Europeu, Santana destino Verde’, e contou com a participação das Deputadas à ALRAM, Sílvia Silva e Tânia Freitas, refere uma nota às Redacções.

De acordo com Sara Cerdas, o formato desta edição do roteiro visou envolver a comunidade educativa na discussão activa do que consiste o Pacto Ecológico Europeu, por considerar que o mesmo ainda “não ganhou grande expressividade na Madeira”.

“O Pacto Ecológico Europeu é uma iniciativa da União Europeia, em que o objectivo principal é tornar a Europa o primeiro continente neutro em emissões de carbono até 2050. Como tal, isto significa uma profunda transformação da nossa sociedade; traduz-se num desafio único, mas numa grande oportunidade. É dessa forma que a União Europeia está a lidar com esta situação, declaramos emergência climática, e o Pacto Ecológico Europeu visa fazer a transformação da União Europeia, dos nossos sistemas, da nossa industria, para uma industria mais limpa, saudável e sustentável do ponto de vista económico, social, cultural e ecológico.”

A socialista lamenta que esta temática “não esteja a ser alvo de sensibilização por parte do Governo Regional aqui na nossa região. Portanto, é algo que deveremos falar, deveremos sensibilizar, o que é e o que significa, que transformações iremos atravessar, e desde já deixar a conotação que não é apenas sensibilizar e falar acerca do Pacto Ecológico Europeu, mas também delinear uma acção, uma estratégia, para ter um plano que vá ao encontro daquelas que são as metas do Acordo de Paris e do Pacto Ecológico Europeu”. Sara Cerdas defende ainda que seja criado “um plano a nível regional para fazer face às alterações climáticas e alinharmo-nos com aquela que é a estratégia da União Europeia. Temos importantes fundos para esta transformação e que poderão ser captados pela nossa região de forma a fazer esta transição para uma sociedade mais sustentável”.