Médico França Gomes acusa o presidente da Assembleia de ter “bloqueado” a sua posse como diretor do Serviço de Ortopedia do SESARAM

“Fomos informados que o poder político não autorizava a tomada de posse da minha pessoa para diretor do serviço”.

O médico França Gomes, ortopedista e comentador do programa “Face a Face”, da Antena 1 Madeira, fez hoje uma declaração “explosiva” nesse programa, relevante no atual contexto de crise do setor da Saúde na Região ao afirmar que, na sequência da demissão do diretor do serviço de Ortopedia, o seu nome foi proposto, pelos pares, para ocupar o lugar mas que no momento em que o conselho de administração se preparava para nomeá-lo, o presidente da Assembleia Regional, José Manuel Rodrigues, desenvolveu pressões, segundo médico, no sentido de inviabilizar essa indicação. Tudo, diz, por uma “vingança” que tem a ver com a opinião manifestada anteriormente pelo médico, onde este disse que o atual líder do Parlamento não tinha perfil para o lugar.

Hoje, no programa, França Gomes diz exatamente que “quando a senhora presidente do conselho de administração quer dar posse e quando marca comigo o dia da posse, o senhor presidente da Assembleia Regional bloqueia essa nomeação, tanto quanto sei até por escrito, num cartão, por pura vingança política de um delito de opinião, meu, que disse na RTP, depois das eleições, que achava que o ex-jornalista não tinha “pedigree” para ser presidente da Assembleia Legislativa Regional. Isto é inaudito, é a primeira vez que acontece a nomeação de um diretor de serviço ser bloqueada, ser interefida por um orgão meramente político”.

França Gomes vai mais longe ao afirmar que os quatro elementos do serviço de ortopedia foram convocados “pelo senhor secretário e fomos informados que o poder político não autorizava a tomada de posse da minha pessoa para diretor do serviço, mas que consensualmente seria o cargo entregue ao Dr. Anacleto, que tinha apresentado demissão e que não aceitou ser reconduzido. E andamos nisto, o Serviço de Ortopedia, que é o serviço que é, está sem diretor