Sidraria Central na ex-Biofábrica na Camacha, espaço no Santo já foi inaugurado

Já está inaugurada a Sidraria do Santo da Serra (Machico), instalada num espaço do Centro Cívico local, na Ribeira de Machico. O investimento foi de 183.000 euros. O presidente do Governo regional esteve presente na cerimónia.

Uma informação da Quinta Vigia dá conta que, do valor global, 119.000 euros referem-se aos custos da empreitada de beneficiação e adaptação de espaço existente no Centro Cívico daquela freguesia para a instalação da sidraria propriamente dita. Os outros 64.000 euros referem-se à aquisição de equipamentos tecnológicos específicos para a produção e comercialização de sidras: sistema de corte e prensagem das maçãs, cubas de fermentação e estágio, e linha de engarrafamento, rotulagem, rolhagem/capsulagem da bebida.

O Governo Regional decidiu promover o projeto de construção e equipamento das Sidrarias da Madeira, “maximizando o elevado potencial da sidra regional e conferindo a esta bebida tradicional a mais adequada abordagem aos mercados consumidores, alavancando a produção de maçãs e peros de variedades regionais”.

Segundo a mesma nota, este projeto contempla a construção e equipamento de uma rede de mini-sidrarias coletivas, com o objetivo principal de dotar a RAM de unidades modelares de serviço público de transformação de maçãs, peros e, eventualmente, de peras, para a obtenção dos vários tipos de sidras e, quando possível, de vinagres de sidra e de outros géneros alimentícios à base destes produtos, a serem instaladas nas principais localidades da ilha da Madeira com mais arreigada tradição na produção de Sidra da Madeira.

Estas sidrarias serão unidades prestadoras de serviços aos agricultores, com o objetivo de ultrapassar as dificuldades que se colocam à produção e preparação para colocação no mercado das suas sidras, proporcionando-lhes condições e tecnologias adequadas à obtenção de bebidas que, para além de satisfazer as disposições normativas e as exigências de higiene e segurança alimentar que lhes são aplicáveis, possam apresentar uma qualidade superior e as características próprias de especificidade e genuinidade e/ou de inovação que permitam a sua diferenciação e valorização nos mercados.

Oportunamente, o projeto será complementado com uma Sidraria Central (a instalar na ex-Biofábrica, na Camacha), a qual, além de conferir o necessário apoio laboratorial às sidrarias locais, disporá de equipamento mais evoluído para produzir sidras naturais mais elaboradas (método “charmat” para sidra gaseificada e método “champanhês” para produzir sidra espumante), de uma engarrafadora/rolhadora/capsuladora mais sofisticada e adaptada a formatos especiais, bem como de capacidade de conservação e de armazenamento para apoio ao desenvolvimento/acabamento dos diversos “géneros” de sidra a obter.