MPT critica Susana Prada e diz estar preocupado com “ataque às nossas florestas”

O MPT Madeira veio reagir a uma notícia hoje divulgada sobre o abate de árvores nas serras da RAM. “Depois de ter conhecimento através de órgãos de comunicação social que a secretaria regional do Ambiente apoia o abate de árvores exóticas com mais de meio século entre as serras do Poiso e do Ribeiro Frio, o Partido da Terra MPT Madeira não pode deixar de ficar preocupado com este ataque às nossas florestas”, denuncia-se num comunicado.

No mesmo texto recorda-se que “a Senhora Secretária Susana Prada sempre defendeu ao longo dos anos a conservação da floresta:

13/01/2017: “5 mil árvores plantadas no Chão das Galinhas em São Roque”;

14/12/2017: “Polícia Florestal faz acção de sensibilização contra corte ilegal de árvores na Madeira”;

07/12/2018: “Não podemos indiscriminadamente tomar a floresta de assalto e destruí-la”, enuncia o MPT, sem todavia explicitar em que órgãos de comunicação social tais notícias foram publicadas.

A decisão de Susana Prada, diz o MPT, “não parece estar de acordo com os princípios que advoga”.

“Depois de uma verificação exaustiva na página “https://www.madeira.gov.pt/sraac”, não nos foi possível identificar qualquer informação sobre este tema. Assim, e considerando que de acordo com declarações da Senhora Secretária estas árvores afectam “a segurança da população e impedem a regeneração da Laurissilva”, o MPT Madeira gostaria que fossem disponibilizados os pareceres técnicos que suportam esta decisão”.

O MPT-Madeira assume publicamente que “defenderá intransigentemente o património ecológico da RAM”.