” O Funchal esteve sob domínio inglês e saiu mais livre, sobreviverá também às investidas do PSD e do CDS”, escreve o presidente da Câmara

Miguel Gouveia CMF 23 de maioO presidente da Câmara do Funchal, na sua página pessoal da rede social Facebook, colocou uma nota que está diretamente ligada aos últimos acontecimentos que resultaram do chumbo, por parte do PSD e do CDS, do Orçamento da Câmara para 2020, em sede de Assembleia Municipal, bem como da posse da Placa Central por parte do Governo Regional, até final de janeiro, para organizar o Mercadinho de Natal, uma decisão fortemente contestada pela gestão camarária.

Miguel Silva Gouveia escreveu o seguinte:

Viva Funchal!

Desenganem-se os que julgam que abalam a nossa determinação em defender, seja onde for e contra quem for, o melhor para a cidade do Funchal.

O Funchal sobreviveu a ataques de corsários e saiu mais forte.

O Funchal esteve sob domínio inglês e saiu mais livre.

O Funchal reergueu-se de catástrofes naturais com trabalho e solidariedade.

Hoje, afirmo com profunda convicção, que o Funchal sobreviverá tambem às investidas do PSD e do CDS e sairá mais forte, mais livre e mais solidário

Recorde-se que este diferendo Câmara/Governo atingiu momentos de grande tensão quando a Autarquia questionou o Executivo sobre a decisão de instalar barracas na Placa Central sem o devido licenciamento, tratando-se de um espaço tutelado pela Câmara. O Governo ameaçou transferir o espaço de Natal para a Praça do Povo e a Câmara decidiu, face a essa declaração de intenções de Eduardo Jesus, desenvolver a sua própria organização para um Mercadinho, ao que o Governo respondeu com a posse do espaço, por resolução em plenário na Quinta Vigia, até final de janeiro, decisão que Miguel Gouveia levou à Associação Nacional de Município considerando ter sido aberto um grave precedente em matéria de competências do Poder Local.