Governo aponta medidas de integração de pessoas com deficiência

Augusta Aguiar InclusãoA secretária regional de Inclusão Social e Cidadania, Augusta Aguiar, presidiu à sessão de abertura das comemorações do Dia Internacional e do Dia Nacional da Pessoa com Deficiência, assinalados a 3 e 9 de dezembro, respetivamente.

Um momento para Augusta Aguiar destacar três medidas que serão desenvolvidas pelo Governo Regional ao longo do presente mandato, nomeadamente: a elaboração do Guia Regional de Cidadania para Pessoas Portadoras de Deficiência, com vista a proteger, acompanhar e inserir estes cidadãos, a implementação do ‘Programa Apoiar+’, com o objetivo de apoiar a aquisição de produtos e equipamentos para pessoas portadoras de deficiência ou incapacidade técnica e a criação de um programa de emprego destinado, exclusivamente, à integração, no mercado laboral, de pessoas com deficiência. Referiu também que “É igualmente objetivo do Governo Regional promover uma maior compreensão dos assuntos que dizem respeito à deficiência e mobilizar todas as entidades e a própria comunidade para a defesa da dignidade, dos direitos e o bem estar das pessoas com deficiência.”

“Uma demonstração do compromisso contínuo do Governo Regional na Inclusão de pessoas com deficiência, de forma a proporcionar-lhes as melhores condições de vida e as mais inovadoras tecnologias que permitam uma melhor adaptação”, destacou a Secretária Regional.

Na ocasião, Augusta Aguiar destacou o trabalho desenvolvido pelo Governo Regional em prol de “uma estratégia assente em valores humanistas e de cidadania, essencialmente focada na inclusão das pessoas mais vulneráveis”.

Tendo em vista este compromisso do Governo Regional, de continuar a criar todas as condições para uma maior inclusão das pessoas com deficiência, foi inaugurado, no presente ano, o Centro de Inclusão Social da Madeira.

“Uma obra que coloca a nossa Região na linha da frente, no que toca a questões ligadas a uma sociedade mais inclusiva, ao criar, de raiz, um espaço que proporciona à população com deficiência as melhores condições de vida e a maior dignidade possível, tanto aos utentes como às suas famílias”, sublinhou.