Cafôfo não concorda com Centeno nas contas do Estado para o novo Hospital da Madeira

Cafofo reunião PS 16 de novemboA reunião interparlamentar do PS Madeira deixou hoje um “recado” para a República, onde manda o governo socialista. Tudo a ver com a construção do novo Hospital da Madeira e das diferenças de interpretação relativamente aos prometidos 50% da comparticipação do Estado no valor global da obra.

Paulo Cafôfo, o porta voz das conclusões dessa reunião, lembra, a esse propósito, que “pela primeira vez, o Estado definiu o Hospital da Madeira como PIC, Projeto de Interesse Comum, o que demontra a solidariedade nacional apesar da Saúde estar regionalizada. Mas não concordamos com a interpretação do Ministério das Finanças, segundo a qual há o desconto, na comparticipação, do valor patrimonial do Hospital Dr. Nélio Mendonça e Marmeleiros. Tudo faremos, do ponto de vista parlamentar, para que essa comparticipação seja efetivamente os 50 por cento do custo da obra sem esse desconto”.

Outro dos temas “quentes” prende-se com o subsídio social de mobilidade. E a este respeito, Cafôfo lembrou que “os pais deste modelo foram os Governos de Passos Coelho e de Miguel Albuquerque”, pelo que na Assembleia Regional foi aprovada uma proposta de alteração, sendo que na Assembleia da República foi aprovado que os madeirenses só pagariam os 86 euros correspondentes ao que cabe no custo da viagem. Estamos num contexto de elaboração dos respetivos orçamentos  e é preciso que os dois governos estejam em sintonia no sentido de uma solução. O PS está empenhado na resolução do problema, não só do ponto de vista do subsídio mas também naquilo que tem a ver com a atratividade nos transportes aéreos.

O deputado socialista acredita que o novo modelo seja aplicado já no início do próximo ano.