Madeira a assumir operação de financiamento do novo Hospital traz custos de mais 19 milhões, revela Pedro Calado

Pedro Calado3
Ministro das Finanças não aprovou a operação de financiamento do novo Hospital junto de instituições bancárias e foi a Madeira a assumir essa mesma operação, revelou Pedro Calado.
Iglésias Parlamento
Miguel Iglésias fez alusão ao antigo programa da RTP “Contra-Informaçâo” para dizer que o vice presidente é um “cassete Calado”.

Miguel Iglésias chamou “cassete Calado” ao vice presidente do Governo Regional quando voltou há pouco ao tema “ferry” no Parlamento Madeirense. “O que sabemos é que, se nada for feito, não haverá ferry em 2020”. Quanto ao Centro Internacional de Negócios, Iglésias falou na concessão por ajuste direto, “isso sim, uma grande trapalhada que não foi o PS a fazer”, diz o líder parlamentar socialista.

Pedro Calado respondeu e disse que “não contem comigo para achincalhamentos, o que venho falar é com dados concretos. Nada foi resolvido na Madeira por parte do Governo da República. Queremos o diálogo com o Governo da República mas não para sermos endrominados. Nos últimos 4 anos, os madeirenses foram roubados em 50 milhões, nos subistemas de saúde, temos a receber 20 milhões de euros, os acertos de receitas fiscais já lá vão 30 milhões, da sobretaxa de IRS, voaram dos cofres da Região 70 milhões de euros

Quanto ao financiamento do novo Hospital, Calado revelou que “foi feito um pedido do Governo Regional para que a República desenvolvesse uma operação, junto de instituições, no sentido de garantir o financiamento, mas cuja proposta o ministro das Finanças não aprovou. Foi a Madeira quem acabou por estabelecer contactos nesse sentido, numa operação vai custar, à Região, mais 19 milhões de euros.