“Chega” protesta contra partida do “Armas”

O partido “Chega” marcou hoje presença na chegada do ferry “Armas” vindo de Portimão, o qual realizou a última viagem este ano. Segundo esta força política, a deslocação teve como objectivo o reforço do apoio do partido a esta linha e a esta forma de transporte quer de mercadorias quer de passageiros.
O “Chega” não se conforma com este modelo subsidiado e restrito a três meses por ano. A ligação marítima necessária tem de ser com todas as ilhas atlânticas portuguesas, e com as Canárias, e todo o ano, postula o partido, que entende que é um direito das populações e um dever dos governos e da comunidade europeia proporcionar estas ligações.
“A partir de hoje a Madeira fica mais isolada. Resta aguardar as decisões dos governos que irão sair na Região e na República, o ferry é absolutamente necessário”, conclui uma nota às Redacções.