Dieta FODMAP

Na realidade deveria chamar-se dieta baixa (pobre) em FODMAP (Dieta Low FODMAPs).

Esta dieta foi criada pela Universidade Monash, na Austrália, e melhora  os sintomas da síndrome do intestino irritável (IBS-irritable bowel syndrome).

FODMAP é um acróstico de  Fermentáveis, Oligossacáridos  Dissacáridos, Monossacáridos e Polióis.

Assim, os FODMAP são hidrato de carbono de cadeia curta (açúcares e fibras) que não são bem absorvidos no intestino delgado e seguem para o intestino grosso onde alimentam a flora bacteriana intestinal. Como resultado deste processo, as bactérias produzem gases que causam flatulência, distensão e dores abdominais e cólicas.

A presença destes hidratos de carbono no intestino grosso também aumenta a retenção de água no intestino que, combinada com água, provoca cólicas e alterações nos movimentos intestinais (prisão de ventre ou diarreia).

Uma dieta pobre em FODMAP (em que se evitam os alimentos mais ricos neste tipo de hidratos de carbono) deverá ser temporária pois restringe muitos alimentos.

Depois de eliminar os FODMAPs da alimentação e de conseguir um controlo dos sintomas (normalmente em 6 semanas, podendo variar de pessoa para pessoa), os alimentos com estes hidratos de carbono deverão ser reintroduzidos gradualmente e de forma controlada, com o intuito de determinar a tolerância a cada alimento, através de um plano alimentar individualizado.