Café Smart com entrada destruída e vidros partidos na esquina da Rua das Hortas com a Rua do Bom Jesus

O Café Smart foi assaltado ou vandalizado esta madrugada, pouco passava das 4h30 da manhã. O Funchal Notícias desconhece o motivo desta lamentável acção, mas sabe que se ouviu um estrondo de vidros partidos, o alarme a disparar e pouco depois vozes exaltadas a praguejar naquela zona. O Smart, actualmente fechado para férias, é um café situado na esquina da Rua do Bom Jesus com a Rua das Hortas, no centro do Funchal. É muito frequentado por moradores da zona, por estudantes da Escola Secundária Francisco Franco e por quem trabalha nas imediações. A simpatia dos proprietários e funcionários é conhecida e reconhecida, o estabelecimento está implementado naquela zona há décadas e tem uma clientela fiel.

Quer o móbil tenha sido o roubo ou o mero vandalismo, o certo é que foram causados danos de monta, com a destruição de uma porta envidraçada, que ficou literalmente em cacos. O facto de se ter tratado da porta que foi destruída e não a montra, pode eventualmente indicar uma intenção de literalmente entrar no estabelecimento, quiçá com o fito de roubar. Até porque o ruído do estrondo seguiu-se a perfeito silêncio e não foi precedido de nenhuma alteração da ordem pública.

Sem querer apontar o dedo a quem quer que seja, o FN limita-se a alertar e a constatar que actualmente são muitos os indivíduos sem-abrigo que circulam por aquela zona, e que ali pernoitam nos mais diversos cantos. Se os há que não perturbam ninguém, sabemos que entre eles há também indivíduos que sofrem dos vícios da droga e do álcool, mas também ex-cadastrados. Como o policiamento a pé pela cidade é hoje em dia virtualmente inexistente, e nas proximidades encontra-se mesmo um centro de ajuda alimentar e de pernoita (Associação dos Pobres) muitos destes indivíduos andam muito frequentemente por uma zona que já foi, no passado, considerada das melhores da cidade, sem grande controle.

Volta e meia envolvem-se em brigas em altos gritos, motivadas por conflitos pessoais, havendo também raparigas e rapazes a dormir na rua, desde zonas menos iluminadas do Museu Henrique e Francisco Franco à área de um conhecido estabelecimento de venda de bordados, vinhos Madeira e souvenirs, situado na Rua João de Deus, além das instalações circundantes ao centro de saúde do Bom Jesus. Vários fazem-se acompanhar por cães, frequentemente sem trela, em desrespeito da legislação vigente.

A Polícia de Segurança Pública levou pouquíssimos minutos a chegar ao local, provavelmente alertada por moradores. Pelo menos um carro esteve no local, e logo de seguida surgiu a carrinha da Brigada de Intervenção Rápida, que circulou pela zona, em busca dos perpetradores. Dada a hora tardia, não conseguimos apurar se os mesmos foram encontrados. Resta-nos lamentar os estragos.